segunda-feira, 16 de julho de 2012

Quantas de mim?





Quantas de mim?

Terá que amar?
Quantas terão que sofrer...
Terá que viver e morrer?
E quantas de mim terá que recordar?
Ah... Quantas de mim.
teu nome terá que gritar?
E quantas terão que beijar as pétalas de
flores que já murchou?
E minha alma...
Quantas vezes feriu e cicatrizou?
Quantas disseste
que te amou?

Quantas de mim terá que
fechar os olhos ao acordar?
Quantas vezes terei que largar após amar.
Quantos poemas terei que
sangrar e rasgar antes de enviar?
Quantas de mim...
Terá que fechar as portas
pedindo pra ficar?
Quantas vezes terei que
provar te amar?

Eu responderei...
Que quantas em mim houver em mim...
Para sempre há de te amar.
E nunca direi nunca, porque nunca não
cabe num peito que foi feito para te adorar.
E um coração que tanto ama...
Nunca fará cobranças, pois o amor
Nasce por si só, vive e morre e vira pó.
 “Assim há de ser.” Quantas
houver em mim.

Marisa Torres
©Direitos reservados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário