domingo, 8 de julho de 2012

Desejo-te tanto... Tanto.


 

Desejo-te tanto... Tanto.

Ah...

Desejo-te nas noites
de insônias e manhãs ensolaradas.
A cada momento desejo-te...
E vivo desejando-te do nada!
E que tenhas piedade deste coração
embalando-o com hinos de anjos ou oração.
Pois desejo-te tanto, tanto e nem perceber-te
que ocupas todo meu tempo e direção.
Pois desprezo neste momento todas as
prudências de qualquer
intelecto sensato.

Ah...
Este jeito feiticeiro
de homem traiçoeiro e indomável.
faz-me desejaste tanto que me sinto entre
o céu e a terra e me perco neste olhar escravo.
Ah! Entre os deuses e os homens
estou num abismo imaginário.
Tua energia pra mim é vida
ou mesmo fogo de altar
sagrado.

E este desejo de força
ardente ou chamarei de mapa
rasgado ou errante?
Ah...
Foge-me a natureza tentando
como sereia seduzir-te com um canto
para morrer em meus braços.
Ao mesmo tempo me faz sentir bela
a mais pura e casta das divindades
fazendo-me de templo.
Vem não perde mais tempo, não sou
deusa nem fada sou mulher apaixonada
que pretende reinar em teu corpo
entre risos e lágrimas.

Marisa Torres
© Direitos reservados.



Nenhum comentário:

Postar um comentário