domingo, 26 de fevereiro de 2012

Foi você...




Foi você...

Que fez-me ver que os pássaros
voam e param de voar conforme a estação.
Foi você que ao som dos ventos me fez ouvir
o grito maior... O silêncio de uma canção.
E foi você que do nosso amor
fez pensamento, uma palavra
qualquer ter importância.
Ou da prece um milagre a tolerancia...
E se fez.
A melhor forma de viver.

Foi você!!!
Que selou este amor...
Quando a lua minguava e tecia no céu entre o
preto e prata o que os olhos não via.
Foi você que no meu peito fez-se
fonte que a natureza escondia.
Só você me trouxe tais honrarias.
Fez-me ver que...As estrelas tem mais poder
que ondas em alto mar ou ventanias.
Foi tudo tentador...E acabou?

Se fomos nós...
Que nos perdemos como
trecos velhos dentro de um baú...
Deslumbramo-nos simplesmente neste beijo nu?
Sem pedir licença a solidão sem nos dá escolha
veio esquentar a pele trazendo calor...
E entre nós esta sensação do que ficou!
O que faremos amor?

Se fui eu...
Que fiz-te amante amigo e rei.
Fiz-te grão e esperança no meu coração.
De máquina de amor tu foste operador.
O que farei?
Ah... O que fará amor?

Marisa Torres
@ Direitos reservados. 
Add caption

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Pouco a pouco...




 

 Pouco a pouco...

Encontrei-te e amei.
Desesperadamente...
Amei verdadeiramente.
Sim...
Mergulhei no mais profundo sonho.
E sei que sonhaste também.
E pouco a pouco acordei e chorei.
Ah... Chorei, chorei
e chorei.

Pouco a pouco...
Eu te vi se afastando.
Na tristeza me encontrei.
Aos céus gritei teu nome clamando.
Fiquei sem ar e me senti aos
poucos morrer...
Sim, um pouco morri.

Pouco a pouco me ergui...
Voltei a sentir prazer em viver.
Olhar para trás com doçura
e lembrar-me de ti sem sofrer.
Pouco a pouco.
Percebi que não valia a pena...
Que pena.

“Te esqueci”.

Marisa Torres
@ Direitos reservados.