quarta-feira, 20 de julho de 2011

Apenas uma mulher.

http://lh5.ggpht.com/-IIM00nkm6Fk/Tie5QoKPFxI/AAAAAAAANHw/Jja_uKMguJc/s800/Apenas.png
Apenas uma mulher.

Sem medos nem receios
de brincar com o coração.
Viciada em amar sem temer decepção.
Que descobriu na poesia
a magia de encantar.
E que delira em acreditar na
beleza do amar.

Uma mulher...
Nem a ultima nem a
primeira que anseia e deseja.
Só que falo sem rodeios
que falta um pedaço de mim.
Tantos amores vividos,
claros e escondidos, tantos perdidos.
O que julgo verdadeiro, esta tão
longe de mim.
Meu sonho que deliro, meu
travesseiro de cetim.

Apenas uma mulher.
Que grita este amor
que sufoca a alma e arde em chama.
E no peito clama eternizar este sonho
encantado sem ser julgado.
Passear de mãos dadas com
seu amante, ou um simples namorado.
Entregar-me a este amor ardente e
verdadeiro e ser apenas uma
mulher de corpo inteiro.

Marisa Torres
© Direitos reservados.


Anjo amigo.



Anjo amigo.

Pensei ter perdido tudo.
Mas me enganei...
Quando se fala dos céus damos
asas à imaginação,
Pensamos em anjos arcanjos,
mas o que somos?
Meros mortais...
Que grandes capacidades se têm,
de errar e acertar.
A menor de todas?
“Perdoar”

Como temos
uma mente imunda que
escondemos.
Pare para pensar...
Quem pode julgar quem neste
mundo em que se é capaz de matar?
Pensei ter perdido o mundo...
Mas me enganei.
Ganhei...
De mil anjos que pensei
ter perdido, descobri que
só existia um.
Que nunca me
questionou, que só me
transmitiu amor.
Soube me dar o devido valor...

Vivia a perguntar-me
se anjos existem.
Agora tenho certeza que sim.
Anjo se sente de longe:
Presença marcante,
Eu ganhei um anjo sem asas.
Que pensa que me admira,
e é tão admirado por mim.
Este anjo tem nome... Você amigo.
Que está sempre

 comigo.

Marisa Torres
© Direitos reservados.







Feliz dia do amigo...




segunda-feira, 18 de julho de 2011

Quero um minuto.

Quero um minuto.

Um minuto me bastaria
para mostrar o meu sorriso.
A minha felicidade.
Em um minuto sorriríamos um
para o outro.
Mostrar-te-ia com um sorriso
que nunca mais me
deixarias.

Apenas um minuto para
a vida.
Para mostrar-te meu
carinho.
Mostrar-te-ia uma flor, e
sentirias o meu amor.
Sentaríamos na grama molhada
e ali veríamos a transparência da água.
Ao mesmo tempo a magnitude
do olhar.
O olhar que tudo fala.

Neste eterno minuto te
mostraria os caminhos.
Faríamos de um minuto uma
verdadeira eternidade.
Sorriso, silêncio, carinhos,
muita felicidade.
Em um minuto, transforma-se uma
vida fria em alegria.

Queria tanto um minuto...
Para tua boca beijar,
tua mão apertar, oferecer-te uma flor
tentar fazer tudo mudar.
Você me da um minuto?

Marisa Torres
© Direitos reservados.

Procuro-te.

Procuro-te.

Nas as águas dos meus sonhos
misturando-se em fantasias.
A sombra dos olhos mirando
com lágrimas na face rolando,
nos dias e noites vazias.

Procuro-te em vão...
Vôo até os céus.
na esperança de te encontrar.
Como um pássaro na madrugada
sem coragem de cantar.
Sinto tão pouco a esperança.
Deverei continuar?

Vejo apenas um sonho
acabado.
Por sobre o mar, uma gota de
esperança.
Triste como uma criança carente
a espera de um olhar.
Espero-te em noites tristonhas
Em dias vazios...
Nem em sonhos tenho-te?
Mas hei de te encontrar.

Marisa Torres
© direitos reservados.

Pra você eu serei...

Pra você eu serei...

Teu jardim ou o campo...
De campo serei flor
 e de flor o encanto.
Serei o pouco ou o tanto...
E de tanto te amar.
“Encantar-te-ei.”
Deste amor eu serei ar...
Do teu mar sereia a cantar.
E a cantar viverei.

Sim eu serei.
A fada do amor...

  Ou teu conto de magia.

Serei plano e esperança
 no  teu rosto um dia.
A lágrima a brilhar
correndo na face com
 expressão de alegria.
Serei pétala de banho
soprando e explorando no
teu corpo andando.
Em noite de lua serei
predador com tamanho calor
pra saldar com frescor
a real fantasia.

E serei muito mais...
Serei eu a presença
se a saudade bater.
Se a dor apontar quando a
noite chegar far-me-ei de prazer.
Serei amuleto ou porção
poderosa com cheiro de rosa
a te proteger.
E de tanto te amar.
Sentirás enfim o cheiro de
jasmim que irás
manter-te acordado...
Trazendo-te a mim

Marisa Torres
© Direitos reservados.

quinta-feira, 14 de julho de 2011

São teus...

São teus...

Todos meus sonhos e cantos.
Meu vôo que já vagara tanto, tanto.
 São teus meus desejos
e ilusão em busca de ti
em tantos e tantos beijos.
São tuas todas minhas vontades...
É tua a minha mais pobre a mais
rica forma de expressão.
A luz harmoniosa escondida que arde ao
falar das cores e flores...
És abrigo e emoção.

São teus...
Todos meus
 sentidos e motivos.
Ás palavras mais simples
da verdade a perfeição...
Dos milagres dos céus
dos anjos és tentação.
 Do inferno que me agita
 és fogo e sedução.
Neste peito perdido é também
 o meu vale de fé.
A vibração mais lenta em
 meus pensamentos
Tu és maré.

Também são teus...
A minha jóia mais preciosa
 que se chama coração.
Minha chama do tempo...
Qual honra minha inspiração.
Meu amor...
Tal qual um cristal azul ou incolor.
Minhas melhores fantasias
 tu governas noite e dia.
A curto ou longo, prazo são tuas
... Pois é tua criação.

Também são teus...
Todos grandes e pequenos
gestos meus.

Marisa Torres
© Direitos reservados
.

domingo, 10 de julho de 2011

Amor mudo.

Amor mudo.

Amo em silêncio e a

paixão me invade...
Ah este amor que tudo em mim para.
Coisas do coração não têm
explicação, nem razão.
Amor proibido enlouquece
a mente e dá asas
à imaginação.

Amo calada...

Acariciado pela dor
e a vontade tê-lo e vencer
o medo de  te falar.
Amo em silêncio ao pensar como
seria beijar-te ao entardecer.
Amanhecer contigo e
mostrar-te o infinito de amar.
Anoitecer e ter certeza que nos
teus braços estaria ao
sol nascer.

Amar em silencio é

ter tudo e não ter nada.
É como um vidro que nos separa,
ou um espelho que nos ampara.
Amor mudo que fala alto,
que consome meu ser,
que me levanta e
me faz escrever.

Vem... Vem de vez para mim,

ou põe de vez um fim neste
lindo sofrer.

Marisa Torres

© Direitos reservados.


Silencio meu amor...

Silencio meu amor...

Silêncio do amor abafado
do meu canto chorado,
da dor talvez retida
contida em dor!

Silencio do beijo que me negou...

Meu dia de horror, tudo mudou.
Meus sonhos foram dilacerados
esquecidos na minha dor.
Amei, imensamente estes dias.
Mas acabou...
Amei calada atormentada no silencio
que no meu pensamento
instalou.

Estou aprisionada, as asas caídas...

Sem ponto de partida, no abismo
do silencio que nos separa.
Aquilo que sou, ou quisera ser,
me fora dado a escolher.
Mas não posso sair do meu mundo
de sonhos... E assim como criança silencia,
no meio de gente crescida...
Meu mundo é só sonhos.
No  meus sonho silencio!

Marisa Torres

© Direitos reservados.

sábado, 9 de julho de 2011

Simples assim...

“Gosto da simplicidade das coisas.
Da sinceridade nas pessoas e
da chuva no dia de verão.
Admiro a música mais
simples cantada com o coração
e com brilho no olhar.
Suspiro por surpresas gostosas,
quase sempre esperadas
e feitas com amor.
Respeito à vida do próximo,
mas tenho opinião sempre
e luto por justiça.
Rabisco suaves linhas
da vida minha, da tua,
e tenho
o péssimo defeito de enxergar
com o espelho da alma”

Marisa Torres.
© Direitos reservados.


Doce-Nascer-Rosa-Espera.

Doce-Nascer-Rosa-Espera

Na pele aveludada
dos corpos espinhosos
você espera para nascer rosa.
Branca, vermelha, ou amarela.

Os insetos que te rodeiam
hão de esperar para ver tua beleza,
quando for rosa.
Rosa purpúrea a mais bela.
Terão que esperar para ver
tua cor alteza.

O colibri irrequieto vai ficar quieto.
Ansioso e fugaz esperando brotar o botão
para ver crescer a mais linda
rosa purpúrea, seja branca sempre
será a mais bela.

Nasce rosa, branca a espera e que seja rosa.
No jardim tudo é festejo tudo verde a apreciar.
Músicas soam nos canteiros.
É o jardim inteiro que anseia a comemorar.
Só esperam que seja a mais bela.

Não importa a tua cor, pode ser 
branca, vermelha ou
amarela,
Que traga alegria, para ser presentes
em todas as datas, que só tu faz com
que um rosto triste sorria.
Nasce rosa... O mundo todo te espera.

Marisa Torres
© Direitos reservados.

Traçando.

Traçando.

Com tristes notas
eu canto, a minh’alma
perdeu o encanto.
Pede-te a todo o momento
a beleza, do teu encontro para
poder continuar
mesmo triste...
Cantando.

Tu e que secas meus
prantos, envolve-me a
alma perdida.
Tua vida em minha vida
em sonhos beijo-te os pés como
flores para amenizar
minhas dores...
Andando.

E amar-te mais é
o meu desejo, saciar a
sede dos meus anseios.
Ilumina-me a noite
escura e fria...
Clareando.

Para falar-te
do milagre da vida
tenho que falar da morte
em mim escondida,
que tive que retomar na escrita.
No que exalo amor eu vou
renascendo....
Rimando.

Marisa Torres
©Direitos reservados.

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Encontrei-te amor...

Encontrei-te amor...

Sim... Pois a rua
quando apontas tudo é festa...
As flores brincam oferecidas
e já crescidas o perfume já não sei se tu
exalas ou elas exalam você.
No céu tudo é magia a tristeza
é ocultada a alegria vem nascer.
As estrelas vivem a bailar
numa delicada maestria...
Acertar-te minha alma ou fez
deste peito pontaria?

Sim...
Encontrei-te já me atrevi até a
gravar um musical com anjos.
Em rascunhos passei a plantar sonhos.
Porque será?
Que meus banhos hoje pedem essências
de alfazema e aroma de almíscar?
Sim... Meu coração perde a pulsação
ao te ver passar.
E quando tu não vens às folhas e as
pétalas os ventos as levam
 também.

E duvidas deste amor?
Porque então esta dependência
 do meu corpo junto ao teu?
Por quê? Só consigo ver a
lua brilhar no reflexo do teu olhar?
E na minha tentação recebo tuas rosas
como culto de sedução.
Já vivo sem ar...
Já fiz guerra em mim para a verdade tapar.
Tentei desviar minha atenção.
Cansei de ouvir opinião.

A verdade... Só consigo em ti encontrar.

Marisa Torres
© Direitos reservados.

terça-feira, 5 de julho de 2011

Jura-me.


 

Jura-me.

Que jamais deixarás
este amor como nuvens partir.
Ou deixar como vela acesa sem fé alguma seguir.
E não deixes que se vá com o vento
dos meus sonhos o encanamento...
Jura-me que este amor tem a união de duas asas
pequenas voando sem direção.
Faz-me juras que meu castelo azul
 sustenta as treze luas
 do coração.

Jura-me que este amor.
Tem a dádiva de abrir
todos os portais do tempo.
E que a terra e mar neste
amor é templo.
Que os doze meses do ano serão
marcas de exemplo.
Jura? Que numa taça só beberemos?
Todos que vierem a ver com arte
 espalharão as marcas que
deixaremos.

Então me jura.
Pela poderosa magia da madrugada.
Que manterás a doçura
tornando banais os ventos e tempestades.
Jura-me ser rei fazendo-me majestade.
E candeias com luzes este amor, por favor,
nossas vidas que nasceram
 já cruzadas.

E jura então?...
“ Que és anjo e eu proteção?”.


Marisa Torres
© Direitos reservados.

domingo, 3 de julho de 2011

Quando vai entender?

Quando vai entender?

Que voar só
conseguirá quando
ouvir as canções que a ti dediquei?
Quando aprenderá que navegar
em outros corações será sempre em vão...
E que ancorar com paz só
no mar das delícias que a ti dei?
Quando vai aprender que amar é abraçar
sonhos...Esqueces-te o
que ensinei?

Quando aprenderá?
Que as flores só vão sorrir quando
 entenderes que no meu jardim
estão a de te esperar.
Quando entenderás que o orvalho que
molha os teus olhos
o meu corpo já veio banhar!
Ah... Faz favor o meu pranto
é amor e não fortaleza de dor.
Quando vai entender que és caule e eu flor?
Talvez quando o meu coração usar a
sabia força de fazer as malas. Oh não!
Quando entenderá que meu amor a chuva é só
uma razão que os céus te enviou para
chamar-te a atenção?

Quando entenderá que te amo?

Olha as rosas e elas
 responderão qual a imensidão.
Pergunte ao tempo a quanto
tempo não vejo o tempo passar.
Pergunte ao mel há quanto tempo na
minha boca se faz fel lambuzar.
E ao céu pergunte por que não preciso
olhar estrelas brilhar.

Quando vai aceitar...
Que és cravo e eu rosa plantados no coração.
Que a margarida só tem vida se um dos dois plantar...
O mundo só vem existir se tu fores casa e eu botão?


Marisa Torres
© Direitos r
eservados.

Photobucket