domingo, 26 de junho de 2011

Quando a noite vir...

Quando a noite vir...

Permita tudo...
Tudo neste amor fluir.
Permita que meus pensamentos
voem sem direção, e vem como larva de
 fogo...E do meu corpo faz vulcão.
E quando escurecer...
Quando a noite ceder deixemos a
 carne crer em pulsação que os 
olhos não mais ver.
E permita-te ver que não há
mais escuridão.

Quando a noite chegar...
A paz permita que aprecie no teu olhar.
Permita-me com estrelas falar.
E quando a noite vir andando...
A lua aparecer me chamando de querida.
Nos meus sonhos vem ser vida e permita-me ser
 nos teus tua terra prometida.

Quando a noite cair.
Permita que nossas
bocas se calem de paixão.
Que nossos braços sejam rumo à união.
Permita que este desejo eternize os nossos beijos...
As nossas veias “o coração”.
Permita-nos a noite desgovernar
qualquer tipo de
questão...
Estando respostas
certas ou não.

Permita... Que todas as noites possam vir.

 Marisa Torres 
© Direitos reservados.

sábado, 18 de junho de 2011

Brindemos...



 
http://lh6.ggpht.com/-6ZSqs88e3S4/TfzSe66ecaI/AAAAAAAAM3I/AhqaQqEeNW8/s800/brindes.png

Um brinde...

A todas palavras
vindas do coração.
Brindemos aqueles que vivem
 dentro e fora do padrão.
Ao silencio que fala por si
 com o brilho no olhar.Brindemos
A música que jamais esquecemos.
E oremos pela paz!
 Oh luz infinita a ti brindemos.
Um brinde a mais simples
 forma de amar.

Um brinde...
Aos sonhos que temos
com um mundo mais bonito.
A liberdade do livre arbítrio...
A escravidão diferente que
tenho no peito...Eu brindo.
Sou escrava de minhas emoções
 com todos meus direitos.
Aos meus mitos e gritos um brinde.
Aos anjos todas as mais
puras porções.

Brindemos...
A vida e seus momentos.
A quem sabe voar numa
 paixão sendo ou não correspondido.
Respeitando o sim e o não.
Um brinde as fadas qual acredito...
A leveza da poesia vamos brindar!
 A alma do poeta que é despido.
Um brinde a um peito
 a sangrar.

“Aquele que me inspira”.
Ah este eu vivo a brindar.

Marisa Torres
© Direitos reservados.

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Deixe-me voar...

Deixe-me voar...

Veja bem
O fato de amar-te tanto não
significa que não me ame também.
Veja Além... Não fui eu!
Foi este coração viajante
que te escolheu. Veja só...
Pensa bem... Plantar-te a
semente do amor em meu sonhos
 e agora quer podar?
Veja o que faz... Pela última vez.
Porque implicas tanto se
só quero voar?

Veja o que fez...
 Beijei o lenço branco que me
deras para o pescoço adornar.
E borrei com batom vermelho
 que usei para te encantar...
Pois nele lágrimas sequei.
Tenho que escolher amar o
mundo ou te amar?
Como pássaro indefeso
Desabei-me a chorar.

O que farei?
Tenho alma de pássaro...
Vejo-me assim tenho que voar.
O espírito que reside em cada
 ave reside em mim.
Da águia sou fonte clara e limpa...
Também sol e ar.
Qual um cisne tenho que
 cantar até morrer não posso parar.
De faisão faço-me dia
vendo o sol nascer.
Adormeço qual íbis durmo
nos braços da lua

E por isso não posso ser tua?

Marisa Torres
© Direitos reservados.

terça-feira, 14 de junho de 2011

Dai-me a paz que preciso.

Dai-me a paz que preciso.

Só vivendo contigo.
Tornar meus sonhos possíveis.
Deixar de ser fada...
Ser uma mulher comum.
Amante amada sorrir chorar
e em teu colo me agasalhar.

Preciso da paz dos teus braços.
Neles adormecer meu cansaço.
No teu abrigo meu frio esquentar.
Contigo fazer amor e receber
de ti uma simples flor.
Com ou sem espinhos ter
certeza que irás onde vou.

Preciso da paz da tua vida
E sei que precisas da minha.
Sorrirmos em qualquer lugar...
Preencher estas vidas vazias
que insiste em nos
acompanhar.

Dai-me a paz que preciso...
Que de volta eu a ti aponto
qual o rumo o paraíso.

Marisa Torres
© Direitos reservados.

                             

Onde está a felicidade?


                                                          



Onde está a felicidade?

Talvez nas estrelas

onde brilham teu olhar.
Ou no mergulho do teu suor
onde nado no escuro do céu.
Será no mel onde saboreias
meu corpo nu esperando
um troféu?

Será neste sorriso

puro de criança que tu tens?
Ou na malícia do teu beijo
onde sempre digo vem.
Será no sentimento
que nos une no casamento?
Ou na paixão desenfreada que
me deixa embriagada
e despudorada?

Onde está a felicidade?

Estará nos corpos quentes
dos ventos fortes de um temporal?
Ou na sede brusca dos amantes
saciando a sede num
vendaval?

Felicidade?

Não sei o que é felicidade
só sei que ao teu lado eu me
sinto uma criança.
Algo tão verdadeiro um
sentir caloroso
que me encanta e traz
esperança...


Marisa Torres

© Direitos reservados.

Traz de volta...

Traz de volta...

Pássaro que voa
estou aqui na esperança triste de
ver você voltar olhando a garoa.
Lembras o que passamos e o
que vivemos? Certamente não...
Só eu recordo as lembranças boas.
O infinito amor que daria
tudo para ter de
volta um dia.

Ainda corre em
minhas veias, a eterna
esperança de que um dia, tu
lembrarás as tardes frias
em meio à chuva.
Era tudo tão quente...
Tu de deusa me chamava.
E eu a Deus agradecia.

Volta meu amor,
volta tempo, não quero
viver de lamento.
Volta pra mim, traz de volta
o meu coração que levou.
Só em mim a saudade ficou?
Vivo do que fui...
Ofuscada neste espelho
de quem já foi feliz um dia.
Traz de volta minha
felicidade, traz de volta
minha alegria.

Vou viver do que minha vida levou?
Volta! Traz de volta meus dias de amor.

Marisa Torres
©Direitos reservados.

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Um toque teu me bastaria...


Um toque teu me bastaria...

Para correr ao
teu encontro e de alegria nas
manhãs orvalhadas, raios
de sol espalharia ao tornar possível
meus sonhos que deixei em abandonos.
Só um toque teu me bastaria para
embalar de felicidade o mundo
e tornar feliz as minhas
noites sem graça de outono.
E feito tempestade repentina
te roubaria cada instante
com um olhar desconcertante além
da cortina que nos separa.

Cantaria aos quatro
cantos do mundo este amor que
plantar-te em minh’alma
e colheria frutos nos ritmos do meu
coração que um dia dissera amar.
Apenas com um toque terias minhas
emoções e desejos na palma das tuas mãos.
E como se nada disso bastasse
escrava deste amor eu
seria ao amar-te.

Apenas um toque...
para corar meu pálido rosto
que inspira e retira cada palavra
minha dita tornando-as em arte.
Um toque para iluminar meu caminho,
meu tempo ocupando assim
todo o espaço.
Apenas um toque teu me bastaria...

Marisa Torres
© Direitos reservados.

domingo, 12 de junho de 2011

Desenhei-te para sempre.

Desenhei-te para sempre.


Foi sangrando na escrita.
Falando ao mundo com emoção...
Gritando o amor com o coração.
Que te encontrei...
Meu mundo ganhou cor.
Desenhei-te na minh’alma e
jamais apagarei.

Hoje somos um só...
Amando-nos como o oceano
sereno, onde tudo grande
demais é pequeno.
Neste mundo o qual te desenhei...
Meus sentidos afloraram e os
ventos ruins sopraram.
Ah...
Foi na linha mais reta que
teu coração decorei.

Desenhei-te com calor.
Finalmente consegui e de
alegria meu mundo adornei.
Entregamo-nos as carícias e
loucuras coisas minhas e tuas...
Este instante Deus.
“Perpetuei.”
Abraçados neste momento
estamos nesta linda e imensa
imagem de amor.

Ah meu amor... Do lado esquerdo do
meu peito te tatuei.


Marisa Torres
© Direitos reservados.


Que brilhem...

Que brilhem...

Todas as estrelas no

céu fazendo o tempo passar.
Que brilhem todos os olhares
enquanto tento me encontrar.
E que a força do amor seja
um cotidiano nos meus
dias criando raízes.
Sim...
E que se faça brilhar na
minh’alma um novo
amor sem razão ou
diretrizes.

Que venha brilhante...

Ah... E que me faça reluzir.
E que brilhe mais que o sol
apagando este passado de nuvens
tumultuosas em que vivi.
Que cubra... Sim
Como lençol de seda ou
manto de prata este grave inverno
que no meu peito se fez chuva.
Sem amor envelheço sem amor eu
me perco, sem amor sou
só algo mais.

Que brilhe e me encante...

Sou pássaro ofegante qual formula
de amor se faz flor verdadeira
da terra brotando e nasce feliz.
Que brilhe ao meu lado...
Sem questionar a distancia jamais.
Traga-me o paraíso ou Oasis de paz.
E ao se sentir triste ao ouvir uma melodia...
“Lembre-se que sou EU sua poesia”.
E comigo brilhe...
Bastante.

Marisa Torres

© Direitos reservados.


sábado, 11 de junho de 2011

Meu namorado.

Meu namorado.

Encontrei-te em meio às flores
numa noite de inspiração.
Teu coração passou a ser meu
neste mundo chamado ilusão.
E claro ficou nosso amor que
meu coração tu levaste pra
sintonia de outra estação.

Vivemos de fantasias...
Mas nada quero mudar.
Nosso mundo se chama “Amor”.
Meu namorado é calor.
Leva-me pra ilhas do céu,
Meu namorado é magia
nisso eu posso  jurar.
Tocando-me e embriagando-me
com a pureza do seu mel.

É audacioso e manhoso
agasalho-me no seu cheiro gostoso
misturado-se no meu corpo cheiroso.
Hum...
É fogo e brasa e sem razão
Ah como é grande nosso
pequeno e grande sonho chamado
“paixão”.

Nosso mundo é de beijos falar
de desejos queimar e de sonhos voar.
Embriagarmo-nos no leito explodindo
até os acordes do peito.
Ah... Adoro seus gestos.
De quem eu gosto, nem
às paredes confesso...

Marisa Torres
© Direitos reservados.

Ah como te amo.

Ah como te amo.

Sobre as flechas
do sol e o encanto do luar.
Te amo sim... Entre sonhos dourados
e duelos no peito que insistem queimar.
Deverei eu reunir estrelas e tentar apagar?
Porque meus sonhos vêm invadir por quê?
Porque tanta tocha no peito
vem acender?

Te amo sim...
 Quando vai enxergar?
 Pelo cálice sagrado dos guias do amor.
Como posso eu viver se não sabes quem sou.
Pelo poder divino do universo.
Por que faz em mim dança, música e verso?
Ou mesmo muda o clima de
toda minha estação.
fazendo de mim ira doçura
e paixão.

Amo-te tanto
e procuro um por que.
Não... Não nego não consigo esconder.
Por todos os poderes da terra... És meu querer
A luz do sol... Quem reluz é você
O resplendor do fogo...
Teu calor aquece meu ser.
És perfeição ligada ao meu coração
Oh Deus eu te encontrei
e você nem percebeu.
Por quê?

Se tanto amor sem te dizer quem te deu fui eu.

Marisa Torres
©Direitos reservados.

quinta-feira, 9 de junho de 2011

Vamos namorar amor?



Vamos namorar amor?

Até o sol se por...
Bordar com uma flor o
tempo ou com pedras
mágicas até a lua surgir.
Vem namorar ao relento com
a lua em curso ou fora faz-me uso
 e templo até a lua se for.
Faz do meu corpo altar e
 nele vem rezar
...Vem amor namorar-me
até o sol sair.

Ah... Vamos amor?...
Olhar o céu e admirar
ou mesmo estrelas saudar.
Faz-te pó de diamante e lava meu
corpo e por encantamento deixa
que se eternize nosso instante.
Sim... Seremos um só brilhante.
Vem namorar, vem ser a delicadeza
 de uma música no meu corpo tocar.
Que sejas sol em mim que em
 ti eu serei lá.

Beija-me amor.
Com o sol brilhando e ardendo
mudando-me de estação...
Ou sejas tu o compasso
da minha mais simples canção.
Vem ser nota em mim fervendo
ou mistura teu suor no meu...
Faz amor em mim confusão.
Já és música luz e cor...
De namorado já faz de
samba a batuque no
coração.

Vem namorar amor.

Marisa Torres
©Direitos reservados.


terça-feira, 7 de junho de 2011

Em você me perdi.

Em você me perdi.

E em busca de

“mim” eu voei tão distante.
Como um pássaro perante
ou um mar diferente, mergulhei
neste abismo que me cerca de medos.
Entre galhos e folhas ouvi teus apelos.
E de asas quebradas cantei
meus segredos.

No teu olhar me perdi

qual uma Deusa virgem entreguei-me
aos teus feitiços indecentes e famintos.
Em teus carinhos eu me vi em meio
às plumagens caindo...
Em teus braços entreguei-me ao
amor em meio ao instintos sem
nenhum argumento.

Em você me

perdi em busca de paz...
E deixei contigo o meu sol de verão.
A suavidade da música de uma estação.
Meu cheiro, minha alma, em você eu perdi...
Neste palco voraz, confessei minha perdição. .
Que me cercam as crises “Aos céus”
A minha vida a ti entreguei sem medos.
Entre mantos e véus.

Em você me perdi...


Marisa Torres

©Direitos reservados.

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Nua...

Nua...

Assim me entrego

diante do teu olhar.
Qual uma estrela se
despe para a lua.
Eu me encontro nua a luz do
sol em meia harmonia das
cores em meio às flores.
Totalmente nua...
Somente teu nome
murmurar.
Nua aos
teus encantos...
Nua pelos ventos.
Que me despe a alma
Somente em ti pensar.
Nua.
Aos sons dos teus chamados
que nem precisa
mais chamar.
Nua aos teus apelos
e tuas mãos atrevidas.
Que nem precisa me tocar.
Nua ao teu cântico
fervente e palpitante.
Que ouço num simples
sussurrar.
Nua a tua sombra, que
passa ligeira.
Que se faz mensageira deste
amor que não passa.
Finge que dorme para a
alma descansar.
Nua e eternamente tua.
Nas fontes e rios ou por
onde tu pensares passar.

Marisa Torres

© Direitos reservados.

quinta-feira, 2 de junho de 2011

quarta-feira, 1 de junho de 2011


Eu te proponho.

Eu te proponho.

Momentos fugidos no
silêncio...
Um encontro à meia luz.
Olhares que seduz.
Momentos de amor com
gosto de licor.
Momentos embriagantes
exalantes de calor.

Momentos de magia,
e de céu estrelado.
De amantes que saciam
a sede da água do amor.
Momentos de noites
ventiladas ao luar.
Qual despertar
meu corpo ao beijar.

Momentos esquecidos
que o mundo gira.
Nossos corpos parados
no tempo, e aquecidos
no pensamento.

De valsas e tangos...
De abraços e domínios.
Momentos de carinhos.
Presenteados, amados
loucos e vagos.
Eu te proponho...

Marisa Torres
© Direitos reservados.

União perfeita.



União perfeita.

Fecho os
olhos e sinto a tua boca.
União perfeita a tua boca e a minha.
Ah como é bom sonhar e voar.
Tal qual borboletas,
beijando as flores.
União perfeita natureza
louca.

União perfeita
a dos corpos explorar
caminhos, fontes, rios e matas.
Percorrer sem medos entre os canteiros...
Mãos unidas face a face.
União perfeita vida tua vida minha.
Tua pele e a minha
que fale.

Abrir os olhos e
continuar sonhando.
Despertar e sentir que tua vida é minha.
E ter certeza que a minha vida é tua.
Unir vidas já é difícil...
Alcançar a perfeição mais difícil ainda.
Mas alcancei, porque consigo sonhar.
E perfeição é enquanto se ama
e só termina quando
acaba o amar.

Marisa Torres
© Direitos reservados.

Que desejo é este?

Que desejo é este?

Que vem com
um gosto ardente me
deixando tão indecente?
De não ver o sol nascer e só
acordar quando a lua sair.
Meu corpo vive febril...
Dai-me o frio para suavizar
esta chama que percorre da
minha alma as
entranhas.

Um desejo
esterno de te amar...
Que me faz sentir pecadora
sem gosto de despedida.
Um desejo de tirar o sossego e
em cetins vermelho afogar.
Um gosto de mel na boca
ou como o fel de uma
abelha perdida.

De tirar minha paz
Que só se desfaz quando em
mim vem tocar. Ah este desejo...
De noites sem fim a luz do luar.
Um calor de satisfação e
devassidão voraz.
Sentir tuas mãos passear no
meu corpo sem demora...

Ah! Que desejo é este?

Marisa Torres
@Direitos reservados.

Se...

Se...

Eu mesmo que
distante te acalento a alma.
Se este amor for impossível
te entrega e abraça a minh’alma.
Se o sol não surgir não
esqueça que estarei sempre aqui.
Se as estrelas não brilharem
faço-me de uma para ti.

Se a chuva cair não
esquece cada pingo
é um verso meu e teu.
Se o sol queimar tua face
de calor sou eu ardendo em amor.
Se olhares para o céu me verás
nas nuvens em formas harmoniosas.
Se escurecer deita em meu
peito e sente o meu
coração bater.

Se este amor não te
bastar eu
farei em fantasias me amar.
Se o bailar da poesia parecer fria
eu faço virar melodia.
Se o botão da rosa não
abrir meu perfume irá te cobrir.
Talvez se a solidão te atingir sou
eu morrendo por ti.

Se...

Marisa Torres
©Direitos reservados.