domingo, 10 de abril de 2011

Estou assim perdida...

Estou assim perdida...

Encontro-me

em completa confusão...
Quanto mais corro o alvo
vem e acerta o coração.
E se oro mais minha
mente faz aflição.
O ar que respiro um tranqüilizante
oposto sufocando o peito...
“Tira-me amor desta
solidão.”

Preciso me encontrar...

Que seja sozinha então.
Meu coração não é recheio de
dor muita menos migalha de pão...
“Tenho fraquezas"
Meu cérebro limitação.
A minha alma então...
Movida a amor e
paixão.

Não... Não sou

Ana Abigail muito menos Ester.
Destas mulheres não tenho a fé.
Pesa é um coldre de setas
sobre meus ombros.
Tenho a bravura dos cães e leões
um arco dourado nas mãos.
Vou sair desta amado...
Assim você que quis.
Não...
Não me confunda não sou
deusa Ártemis.

Marisa Torres.

@ Direitos reservados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário