terça-feira, 15 de março de 2011

Queria eu...


Queria eu...

Que fosse
somente um talvez.
Oh Deus. Ah como eu queria
enganar meu coração.
Queria tanto que o amor
tivesse errado a direção.
Mas não... Fez ronda e se apossou.
Queria eu hoje estar nos braços teus.
Ou mesmo encontrar o mapa do
meu eu outra vez.
Iludir-me e dizer que tudo só
depende de mim...Mas não.
Que boba sou!Tão
 frágil estou.

Queria eu
encontrar a razão
ou mesmo um porque de
 tanto te amar e querer te esquecer.
Somente eu neste mar de
ilusão consigo te ver.
Pior então não sou de grão
 de metades então...
Melhor chorar ou um
pouco morrer.
Amanhã quem sabe tudo
mudará mas hoje não...
Não posso te ter!

Ah como eu queria...
Ser flor perfumada e me
sentir amante amada acolhida
no jardim da tua vida.
Ou mesmo então ser eu a
 escolha e não a opção.
Empatamos então sofras por tua razão.
No decorrer do tempo descobri
em mim ou mesmo na vida
...Que sou um lindo
buquê ou flor preferida.
Sou eu meu bem.
 “Emoção na medida”.

Marisa Torres
© Direitos reservados.



Um comentário:

  1. Quem de nós que já sentiu um amor a invadir nosso pensar e nosso agir, que não queria somente mais uma vez reviver as velhas e inesquecíveis emoções que só um velho e grande amor pôde nos propiciar!!? Adorei, parabéns! Quando puder, passa lá no meu, pois têm novas postagens, você vai gostar!

    ResponderExcluir