segunda-feira, 21 de março de 2011

A lágrima do amor.

A lágrima do amor.

Sofrer de amor é
lágrima que mais dói.
Não é a que na face corre,
é a nos corroi o coração.
É lágrima disfarçada,
a mais assustada.
A que não pode aparecer,
morre na garganta,
é a que sufoca, explode, espanta,
a que se procura
disfarçar.

Esta lágrima disparada

vem num riso desapontado
dói na alma, resseca a boca
 fingindo ser natural.
Aparece na mais pura tristeza,
sem poder soluçar.
Por dentro arrebenta tudo,
 parece que rompe
 a matar.

É muito difícil enganar,

não é lágrima caída.
É muito mais dolorida, é engolida
fica por dentro escondida...
Mas viva a vida.
Tenho que continuar, ta na hora.
Sou poeta não sou um mero ator.
O que me move é a dor,
e o coração é que chora.


Marisa Torres

© Direitos reservados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário