domingo, 16 de janeiro de 2011

Onde colhi flores?

Onde colhi flores?

Naquele beijo que me
deste que há muito ficou pra trás.
Esqueceste do mar de rosas
que vivemos num longo
tempo em prosa?
Das margaridas enfeitando vidas
 e sedas coloridas na qual
entregamos nossas vidas.
Colhi violetas em tardes
de primavera para agradar-te
e enfeitar na poesia
as letras.

Corremos nos jardins
da vida entregamo-nos aos desejos
e nas flores nos aquecemos.
Das delicias que fizemos e quase
morremos entre cravos e estalicias?
Juntos viajávamos eu era tua fêmea
favorita e ao desejar-me me
chamavas de tulipa.
Meu cravo meu divino amor meu
delírio meu doce lírio não
passaste de um cantador?

No bem me quer
onde não me quis superei a
dor hoje sou feliz. 

Continuarei colhendo flores
sem pressa quem sabe é
num arranjo que encontrarei
o meu Crisântemo.
Sou uma flor formosa não
sou gardênia nem rosa, mas
farei um homem feliz.

Marisa Torres
© Direitos reservados. 

Flores

Nenhum comentário:

Postar um comentário