terça-feira, 30 de novembro de 2010

Apenas uma menina.


Apenas uma menina.


Sou uma eterna
criança, que vaga
sozinha e rir no meio da rua.
Jogo minhas emoções ao nascer
 do sol,e ao surgir da lua.
Sou apenas uma criança que vive
 escrevendo meu nome e o teu.
Brinco de boneca fingindo
ser tu e eu.

Apenas uma
mulher que não cresceu.
Jogo amarelinha, pulo corda, conto
histórias perdidas no tempo.
Faço possível o encontro do sol e
da lua, como é lindo este amor.
Há...o que não posso fazer? Sou feliz
assim sem sentir dor.
Apenas uma mulher que não
amadureceu.

Só assim posso brincar
 de alegria, ser parte de uma
frase de emoção.
Sendo uma menina posso
caminhar tranqüila pela
 rua da ilusão.

Marisa Torres
©Direitos reservados.


Nenhum comentário:

Postar um comentário