quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Coração de poeta.

errado existe uma dúvida.
O coração do poeta.
Nunca duvides de um
coração apaixonado.
Coração de poeta só tem um dono,
a escuridão, o sempre,
o nunca e o errado.
Não se detecta no fundo
da alma um sentimento que
só há de vir porém trazendo
mágoas.

Amor ou amar.
Eis um estado de espírito que
tantos tentam descrever, sempre
desolados, tristes ou inconformados.
Nunca poderemos descrever o ritual
descompassar dos amantes mal
interpretados.

É como a ira do leão, ou como o
miado de uma gata no cio...
Eis um homem apaixonado.
Amanhece, anoitece e o coração
nas noites frias, busca na sua
própria escuridão, em um estado
de depressão.
Na alegria de ter um dom, tentar
descrever em meio à multidão
confundida com
loucura, ás vezes com
nostalgia.

Marisa Torres
© Direitos reservados pelo autor.


Nenhum comentário:

Postar um comentário