quinta-feira, 30 de setembro de 2010


terça-feira, 28 de setembro de 2010





segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Queres saber quem sou?

i
Queres saber quem sou?

Sou um misto de momentos
movido por tempestades e ventos.
Transformo dor em alegria e
da alegria me faço amor.
Aprendi a olhar o céu sempre
azul embora esteja
cinzento.

Sou um vento
que sopra sereno.
Um cheirinho de chuva morrendo,
pego na terra sem luva.
Sou bússola atenta às batidas
de um  coração que pulsa ardendo.
Sou sentimento ameno, sou
também  uma grande
explosão.

Eu sou tudo e não sou nada.
Quando sou tudo me desnudo,
 e se nada sou me visto na
criança que em mim restou.
Sou um galho perdido ou um
pássaro diferente que escapara
cedo do ninho em busca de
 um grande amor.

Marisa Torres
@ Direitos reservados.

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Meu desfile de primavera.



Preparado o cenário
das paredes que eram cinzas...
De rosa se fez branca vermelha
  azul e amarela.
Fizemos de platéia as orquídeas,
hortênsias  cravos e margaridas.
Enfim desfilei no azul floral
do teu corpo como nunca fiz igual.
Na transparência da sedução cada
pétala fui despindo das noite caindo.
Onde os beijos foram vestindo
nossas noites
de verão.

Meu antiquado amor.
Há...Para ti desfilei.
Com meu antigo vestido dourado
e já desbotado só para te ver no
rosto esta vasta satisfação.
Eu sou mesmo exagerada
para ti  me faço vulgarizada
após cada mudança de
estação.

E na camada dos
 leves tecidos que me veste  do
corpo a alma nas noites de primavera.
Tua mão passeia com
ardor na minha perna subindo.
Na transparência do amor
do tecido fino onde sedas
e linhos viram algodão.

Meu desfile de primavera
na modelagem dos nossos corpos a
ti dedico  todas as noites com as flores
dos mares  com o verde das matas.
De inverno a verão.

Marisa Torres
@ Direitos reservados

sábado, 18 de setembro de 2010

Qual meu destino?



Qual meu destino?

Fitei o céu tantas
vezes esperando
o surgir da lua, e via
apenas você.
A sua ausência derramava 
em meus olhos
gotas prateadas de luz...
Sinto-me escorregar como
sereia na água
do cosmos. 

A solidão das horas 
rompe o meu peito,
e agonizo no grito que canta 
quando caminho só.
Busco em meus 
passos um motivo...
E em vão pergunto ao 
vento meu destino,
qual será o destino 
de haste sem flor?

A razão não
Antecede a pergunta, e do
insondável me chega essa 
obscura força de amor.
Para falar de amor, 
é preciso estar bem...
Não só com você
mas também com Deus.

Marisa Torres
©  Direitos reservados.


sexta-feira, 17 de setembro de 2010

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Meu grito de amor.

Meu grito de amor.

Eu queria gritar...
Falar de ti até ao céu...
Do brilho do teu olhar
Este verde que eles teen...Hum!
Do teu beijo espalhar o mel.
Tu tens gosto de mar...
De quem roubaste o sal
que dá sabor ao suor
nas noites de amor,
durante o amar.

Há eu queria
gritar para o mundo que
apaixonada estou.
Por um homem de rosto
amorenado que meu
coração levou.
E fico sonhando acordada
com este riso meigo de homem
moleque e encantador.
Há eu queria gritar

Meu espírito está
extasiado a flanar de calor.
Acendera um fogo,
que a minh’alma ilumina.
Perpetue Deus este
sonho de menina.
Perpetua no céu este
grito de amor.

Marisa Torres
© Direitos reservados.


terça-feira, 14 de setembro de 2010

Desenhando o coração do poeta.

Desenhando o coração do poeta.


Só com as estrelas do
céu e rimando no amor.
Ouvir uma canção e sentir
nos efeitos a dor.
Usar um pó mágico dosado
de esperança em busca de paz.
Desenhar um coração
qualquer um é capaz.

Usar pétalas de
margaridas e fechar corações.
Bailar no encanto da
 poesia ao apreciar uma flor.  
Usar multicores com sutileza.  
 O verde da natureza e o vermelho
deixe no centro como
beleza.

Tem que ser um
pouco criança para poder pintar.
Adornar o coração com fitas
coloridas e o azul do mar.
E na grandeza da beleza
usar arranjos de violetas.  
Papel de alegria e pincel mágico
para poder se entregar.
E está pronto o coração do
poeta que só vive
de amar.

Marisa Torres

© Direitos reservados.


Por onde andei...

Por onde andei...

Fui esperança
para os desesperados.
Desejo para que não
acreditava mais no amor.
Condenei julguei
critiquei e paguei.
Animei mesmo
desanimada na
dor.

Fui fogo e brasa
e no frio esquentei.
Provoquei suspiros
com minh’alma
onde o rosto escondi.
Fui amante ardente
parceira e fui fraca no amor.
Fui guerreira e força, quem
me esqueceu nunca
Esqueci.

Fui à guerra e sofri,
mas aprendi que ser feliz
é vê alguém feliz.
Suei ver desmoronar tudo
que com amor conquistei.
Por onde passei escutei chorei,
um pouco morri,
mas marquei.

Fui sol fui mar fui
música que marcou para
quem escutou.
Fui fera e mulher e como
menina nos teus
braços cai.

Marisa Torres
© Direitos reservados.

sexta-feira, 10 de setembro de 2010


Este tal bem querer.

Este tal bem querer.

Que tudo é capaz e na
Magia do amor faz e desfaz.
Sem critério mexe por
dentro nos tirando do sério
Brinca sem razão rir de quem
chora ouvindo uma simples canção.
Canta na dor nos faz sofrer
Há...
Mas o tal bem querer é
bom demais!

Envolve a alma...
Contando sem medos todos segredos.
Clareia no céu do ser como a
 lua bronzeia a noite escura.
Hum...Este tal bem querer que acaricia na
malicia entre risos e gargalhadas. 
 Fascina com inocência seja
dia seja noite, vento ou
tempestade.

Um tal bem querer
 
que com o tempo vem o desamor.
Sem perfume sem cheiro como
uma flor que as pétalas o vento levou.
Nos faz chorar e nos faz pensar que
nada mais restou.
Em pouco tempo ele aparece
da mesma forma em outro amor.
O tal bem querer mais uma
vez faz e desfaz.

Marisa Torres

© Direitos reservados.


segunda-feira, 6 de setembro de 2010

sábado, 4 de setembro de 2010

Sou luz...


Sou luz...

E na minha pretensão com

emoção aqueço-te os dias com amor.
Sou chama... Uma mulher que nunca engana
e quando queima o coração é só emoção.
Sou só magia...
Nos teus dias vazios sou luz aquecendo-te com
humildes poesias acalentado-te a alma
apaixonada e fria.

Na luz que carrego no peito

dedico-te uma rosa como uma fada
transformando-a na mais formosa.
Sou raio de esperança que enfeitiça, e nos
corações atiça às lembranças de outrora.
Sou paz na luz que transmite amor
e no amor seduz.

Na minha tristeza aqueço-me

na tua alegria envolvo-me na magia,
a chorar como criança perdida
ao encontrar a luz do lar.
Sou luz que queima apaixonada.

 Procuro acalmar meu coração em
verso e sedução e na magia do
“amor” sou eu, a luz que brilha noite e dia
aliviando teu coração com alegria.

Marisa Torres

© Direitos reservados.

 

sexta-feira, 3 de setembro de 2010














quinta-feira, 2 de setembro de 2010

A ponte para o amor.




A ponte para o amor.


Desdize leve
suspire, sonhe, ame solte
a voz “grite”.
Amar e espalhar amor é
a ponte para você
ver que nunca pecou.
Quem nunca sentiu um hálito
quente na nuca
e vontades loucas?
Esta é a ponte para o amor.
Deixar o vírus contaminar
 pessoas.

Na saudade me
sufoquei, em cada mão
estendida me agarrei e em cada
peito aberto encostei-me a pensar...
“Meu amor encontrarei”.
Nas vontades incontroláveis me
 entreguei sem arrepender-me,
pois foi onde amei.
Para ultrapassar a ponte
do amor é não esquecer
que o mundo pode ser um jardim.
Ter força nos braços, para um abraço.
 
E certeza que, se tens amor no
coração nunca sofrerás.

Quando sentir dor...
“Sente-a desesperadamente”.
 Morra se preciso for...
E volta deixando tudo para traz.
Junta teus pedaços.
Assim verás que a ponte para o amor
 nunca mais terá fim.

 Marisa Torres
© Direitos reservados.


quarta-feira, 1 de setembro de 2010