quinta-feira, 8 de julho de 2010

Como vivo? Dir-lhes-eis...




Como vivo?

Dir-lhes-eis...


Vivo do vento que me
 mantém lúcida e acordado para
eu não adormeça na caminhada
Também mantenho acesa a chama protegida,
para que não deixar que ela apague.
Protejo-me assim das maldades,
e me aproximo mais de
quem me ama.

Vivo do mar que me limpa
 do cansaço da luta e me
recompõe para que eu continue.
Tomo banhos diários de sal,
assim limpo a minha alma, amenizo
as dores. O mar é minha poesia
 o sal é você.

Vivo das cores que vejo
e dos alimentos para que eu
 sobreviva forte para trabalhar.
As cores é a natureza, o fruto ela trata de me dar.
Vivo da riqueza do meu melhor esforço.
”AMAR”
Amando vou plantando e colhendo
bons frutos, separado sempre os que
estragados estão.

Planto o “amor” por
onde passo...
Não perco nem mesmo a terra de
um vaso quebrado,
pois ali a semente germina, às vezes
ate contamina, mas tudo acaba
bem quando termina quando se começa
 com amor.
E sou feliz assim...
Embora como toda felicidade tenha
 momentos confusos, mas preservados,
para não confundir ninguém.
Vivo amando-te para me proteger
de decepção.

Marisa Torres

© Direitos reservados pelo autor.


Nenhum comentário:

Postar um comentário