quarta-feira, 7 de julho de 2010

Adeus amor...



onde nem comigo ficou.
Um dia quem sabe eu
cresça e faça com que meus
sonhos aconteça.
Despeço-me aqui deste
 encanto misto
 de alegria, melancolia e dor.
Somos grandes demais,
somos iguais neste
 mundo pequeno
de amor.

Adeus...
Mas não esqueça...
 Não sou dona de mim tão pouco
tu és de ti... Entreguei-me
em tuas mãos, mas fingis-te
 que não me amou.
Escrevi versos pra dizer
que te daria tudo,
 fiz o que jamais pensara fazer,
 mas acabou não quero ficar
ansiosa nem muito
 menos sofrer.

Adeus ao amor...

Fujo como tu foge de tal
sentimento indefinível
amargo destino.
 Hoje estou assim sem
 vida hoje nada me inspira.
Adeus, mas não deixa
no esquecimento.
Somos duas almas feridas...
Ou o que chamam
de lamento.

Marisa Torres
© Direitos reservados.



3 comentários:

  1. Triste adeus aquele dia,a tarde estava fria, tuas palavras me feriram feito navalha, àquele adeus por fim...acabou minha vontade de seguir,guardei você mesmo assim aqui bem dentro de mim, dizer-te adeus...não posso.

    Nossa que gostoso comentar teus poemas,é sempre doloroso um adeus para quem ama, mas é a vida!! Bjssss amei este também rsrs


    (Jana Souzza)

    ResponderExcluir