segunda-feira, 26 de julho de 2010





quinta-feira, 22 de julho de 2010

Meu sonho de amor.


detalhados a mão.
 Meu sonho de longos beijos e
vontades loucas.
Meu querer sem razão.

Meu sonho constante.
Há... Este querer alucinante.
Meu amor bem cuidado...
Muitas vezes malvado.
Tanto faz se é certo ou errado.
Um vício delicioso de gozo e paixão...
 Meu sonho de impulsão.

Que faz feliz minha alma.
Acelerando as veias do coração.
Meu sonho de fogo e calor.
Sonho louco que mantenho escondido.
 
Meu sonho de pele, de toque e ilusão.
Meu choro perdido que encontrei
num sorriso.

Há... Tu és meu sonho de amor.

Marisa Torres
© Direitos reservados.



Silêncio meu amor.



Silêncio meu amor.

Silêncio deste
amor abafado do meu
canto chorado nesta negra cor.
 Desta música contida
e retida que a mim deixou.
 Do simples beijo que me negou...
Dias de horror, tudo mudou.
Meus sonhos foram
dilacerados e aquecidos
na minha dor.

Amei...
 Amei imensamente
mas acabou o tormento.
Amei calada no silêncio que
se instalou em fibras no
meu pensamento.
Estou aprisionada as asas
caídas sem ponto de partida
no abismo do silêncio
que nos separou.

Aquilo que sou,
ou quisera ser, me fora
dado a escolher.
Não posso sair do meu
 mundo de sonhos...
 E assim como criança...
calo-me no meio de gente
 crescida.
Meu mundo é
só sonhos.

Silêncio o meu amor.

Marisa Torres
© Direitos reservados.

sexta-feira, 16 de julho de 2010






quarta-feira, 14 de julho de 2010

Recomeço aos poucos.


Recomeço aos poucos.

Recomeço a partir de
 muito pouco,nesta praia onde a areia,
húmida e sombria, erguida do sono,
se esvai por entre os meus dedos perdidos.
Recomeço a partir de uma única palavra,
de um ínfimo sinal que vi gravado
no meu coração em ruínas.

Aí, nessa cal vi, um dia,
um pássaro imóvel, quase vivo.
Com os olhos trespassados pelas
agulhas do tempo, inclinar-se e cair
sobre as pedras mudas...

E esse pássaro eras tu...
Ferido de morte, afastando as
lágrimas em vão.
“Afastando-se de mim”
A vida é assim, às vezes é ruim...
 A morte virá, mas poupe-me de
 morrer aos poucos.

Marisa torres
© Direitos reservados pelo autor.

terça-feira, 13 de julho de 2010

Amar sem ter hora para olhar.


Amar sem ter hora para olhar.

Assim é o nosso
amor, nos aceitamos como
somos sem ter hora para nada.
Sem hora marcada nos amamos e
na magia nos entregamos.
 Somos livres como pássaros.
 voando em sonhos nas noites de luar.
Há como é bom amar
sem tem hora para olhar.
Somos verdadeiros de
corpos... E de almas
mensageiros.

 És minha estrela
 corriqueira que brilha todas
manhãs como uma flecha certeira.
Sem ter hora marcada me viro em
melodia sou a perfeita natureza amada.
Somos como água cristalina, e
bravos como as ondas do mar.
Eu sou tua estrela brilhante 
que encontrara quando
 passava para o céu a olhar.

Somos fonte de prazer
 mesmo sem nada dizer.
Eternos e sem horas, o tempo
passa e não vemos a hora passar.
Sem marcas nas horas sou
brisa lenta, sou fúria louca,
sou clara incerta,
sou nobre e delicada.
“Sem hora marcada tua
eterna namorada”.

Marisa Torres
© Direitos reservados. 


Signos?



Signos?

Intuição bobeiras
mentiras quem manda no coração?
O que combina com o que neste
resultado de paixão?
 Touro combina com Áries e
quem combinará com leão?
Só a força de um vulcão de rápida duração.
Gêmeos e câncer dupla dinâmica
compatível e sensível.
E quem não é quando o amor vem
exalar e, contudo
completar?

Virgem e libra atração
 total sexo loucura e paixão.
Quais signos não primam na expressão
 maior que é o amor de uma relação?
Escorpião sagitário capricórnio
atração total e cardinal.
Sempre pares românticos e leais
eis o mistério da astrologia a
“Poesia.”
Peixes e aquários é ironia
nem em rimas
 combinaria.

Libra e virgem um
 mar de flores resultaria.
Contemplo o amor como menina.
Acredito nas estrelas do céu um
mapa astral é coisa banal.
Com minha fúria de leão foi um
peixinho do mar que veio
me domar...
Signos?

Será que nunca amei
gêmeos um dia?

Marisa Torres
© Direitos reservados.



segunda-feira, 12 de julho de 2010

Quem sabe um dia...


Quem sabe um dia...

Sentemos em lugar qualquer.
 E falemos do que vivemos e...
Possamo-nos olhar neste dia
novamente como homem e mulher.
Um dia talvez acabem as mágoas.
Fiquemos amigos e realmente
sentiremos o gosto do amor.

Quem sabe um dia...
As rosas voltem a exalar
 o perfume e  neste dia
 veremos o sol se por.
E tomemos qualquer dia um
porre de carinho com gosto de
um bom vinho ou mesmo
 de licor.

E neste dia... Quem sabe?

Tu percebas que
o que de mais bonito jogaste
 como cartas e perdeste
para o infinito.
E neste dia tu te deixes
envolver na magia do viver.
Se torne mais sensível e deixa-te crer.
Que este dia qualquer...
Já não é mais só
mais um dia.

Quem sabe um dia...

Marisa Torres
@ Direitos reservados.

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Te amo.


Te amo.

Tres palabras mágicas
sentía que regulan la luz del sol
en un corazón apasionado.
Cuando usted habla "Te quiero"
Todo era negro
es de oro.
El amor se siente, a capturas
atrae y la seducción.

Logros y
revelaciones manifiesto ...
Los celos y la provocación
deliciosas sorpresas.
El amor en todo su esplendor
y la canción más hermosa.
Surge de un hola
y sigue por las mañanas
el mar.

Al atardecer
que toma en la mano
novios ir a las playas.
¿Cuándo la luna han
no tienen otra opción
 que sólo hay amor.
El amor en la madrugada
hace dos amantes
loco.

Marisa Torres.
Direitos reservados.

A melodia do amor...


 A melodia do amor...

Eis a nota que
embala a alma sem
uma tecla tocar.
Um rio que deságua nos
olhos ouvindo
uma canção ao luar.
Partitura da doçura de
 um verso de dor!

 Eis a melodia do
amor.

Uma flor sobre
 o piano uma noiva
a véspera do matrimônio.
A alegria exalante no rosto
 de quem ler um poema com gosto.
 Se apaixonar e poder gritar
que seu amor nada
 irá mudar.

Cantarolar sem
 voz afinada com lágrimas
nos olhos da dor da perda do amor.
Saber ouvir uma bela canção
 todo momento na qual sonhamos
e ficou  no pensamento.

A melodia do amor é...

 Poder pensar chorar,
viver, morrer e ressuscitar.

Marisa Torres
© Direitos reservados.




quinta-feira, 8 de julho de 2010

Como vivo? Dir-lhes-eis...




Como vivo?

Dir-lhes-eis...


Vivo do vento que me
 mantém lúcida e acordado para
eu não adormeça na caminhada
Também mantenho acesa a chama protegida,
para que não deixar que ela apague.
Protejo-me assim das maldades,
e me aproximo mais de
quem me ama.

Vivo do mar que me limpa
 do cansaço da luta e me
recompõe para que eu continue.
Tomo banhos diários de sal,
assim limpo a minha alma, amenizo
as dores. O mar é minha poesia
 o sal é você.

Vivo das cores que vejo
e dos alimentos para que eu
 sobreviva forte para trabalhar.
As cores é a natureza, o fruto ela trata de me dar.
Vivo da riqueza do meu melhor esforço.
”AMAR”
Amando vou plantando e colhendo
bons frutos, separado sempre os que
estragados estão.

Planto o “amor” por
onde passo...
Não perco nem mesmo a terra de
um vaso quebrado,
pois ali a semente germina, às vezes
ate contamina, mas tudo acaba
bem quando termina quando se começa
 com amor.
E sou feliz assim...
Embora como toda felicidade tenha
 momentos confusos, mas preservados,
para não confundir ninguém.
Vivo amando-te para me proteger
de decepção.

Marisa Torres

© Direitos reservados pelo autor.


quarta-feira, 7 de julho de 2010

Adeus amor...



onde nem comigo ficou.
Um dia quem sabe eu
cresça e faça com que meus
sonhos aconteça.
Despeço-me aqui deste
 encanto misto
 de alegria, melancolia e dor.
Somos grandes demais,
somos iguais neste
 mundo pequeno
de amor.

Adeus...
Mas não esqueça...
 Não sou dona de mim tão pouco
tu és de ti... Entreguei-me
em tuas mãos, mas fingis-te
 que não me amou.
Escrevi versos pra dizer
que te daria tudo,
 fiz o que jamais pensara fazer,
 mas acabou não quero ficar
ansiosa nem muito
 menos sofrer.

Adeus ao amor...

Fujo como tu foge de tal
sentimento indefinível
amargo destino.
 Hoje estou assim sem
 vida hoje nada me inspira.
Adeus, mas não deixa
no esquecimento.
Somos duas almas feridas...
Ou o que chamam
de lamento.

Marisa Torres
© Direitos reservados.



Onde estará o amor perfeito?




Onde estará o amor perfeito?

Nem nas sombras encontraria.
Procuro-te nas noites de insônias frias.
No mais íntimo da alma vivo a sonhar...
Amor perfeito onde estará?

Procuro-te na minha franqueza.
Na luz da minha beleza, dá-me um sinal...
Vejo-te em cada voz sincera.
Em cada mensagem doce recebida.
Procuro nos anjos um abrigo.
Meu amor onde estará?

Amor perfeito,
 só existe em sonhos?
Não deveria ser assim.
Deveria se apresentar com 
 uma luz dourada.
Falar no calor como o 
soprar de um vento.
Sorrir como a beleza 
emocionada.

Os grandes amores
são aterrorizantes,
são aprisionados a cada instante.
Como seria um amor perfeito
sem doer no peito?
Já nem sei mais se existe 
ele apenas insiste.
Amor perfeito onde 
andarás?


Marisa Torres
© Direitos reservados. 


Eu te amo.






Caminhar sem você... Como viver?




você produz.
Do que quisera eu viver.

A solidão das horas
rompe o meu peito.
E agonizo no grito que canta
quando caminho só.
Busco em meus passos um motivo...
E em vão pergunto ao vento...
Qual será o destino de haste
sem flor?

A razão não antecede
a pergunta, e do insondável me
chega essa obscura força de amor
chamada saudade.
Para falar de amor sem
você é sofrer.
E viver sem você é olhar
para a lua e nada ver.

Como viver?


Marisa Torres
© direitos reservados.







domingo, 4 de julho de 2010

O que eu gostaria?



O que eu gostaria?

Talvez de ser um anjo
para trazer paz ao teu coração.
Transformaria rosas em pombas
da paz para apaziguar a tua dor.
Correria pelos campos com anjos
numa valsa chamada amor.
Perfumaria com flores do campo
a vida que pensa que
acabou.

Gostaria muito...
De poder transformar
o mundo num lindo verso de amor.
E neste mundo imundo que nada
tem valor eu o transformaria em poesia.
Misturaria o verde do mar com o
azul do céu num pedaço de papel.
Em multicores escreveria em letras
singelas e para ti calor
traria.

Ser testemunha de
grandes amores que se uniriam.
Pediria para todos, ensinar a amar
fora da poesia e nada complicar.
Porque a bondade dos anjos esta dentro
de nós eternamente no amar.
Não são todos que tem o dom de
escrever, mas o “amor” todos
podem rabiscar.

Marisa Torres
© Direitos reservado.


O que é o amor?



O que é o amor?

Doce emoção
que canta leve e suave.
Silêncio que fala num
sopro que cala.
Caminhos de emoções
sem destino.
Canção em melodia um
soprar divino.

Viagem sem
volta vôo de gaivota.
Trevas que iluminam
entre carinhos.
Dois amantes unidos
na alma...
Conceito contido que
dói e acalma.

Um olhar de brilho
que irradia alegria.
Coração que transmite
felicidade.
Pingos de chuva
enamorados na praia.
 Amor é o ritmo do
toque da pele.
Amantes beijos paixão
êxtase saudade.

Marisa Torres
© Direitos reservados.





Nas nuvens.


Nas nuvens.

Eu me ponho a
sonhar e depara-me nas
minhas tristezas e alegrias.
Dou-te meu sorriso
e no teu olhar é onde brilho.
Vejo a lua encantar namorados
que se perdem no amar.
Nas nuvens perco-me no amor
me encontro e
me dou.

Lá eu sou à noite
dos apaixonados que
se entregam nos carinhos.
Nas nuvens sou a abelha rainha
entregando-te meu mel.
Sou a manhã chuvosa,
sou também a aurora
clareando o céu.
Sou a amante, a amiga
companheira a mover
espinhos.

Peço-te desculpa
mesmo sabendo que não ofendi.
Entrego-me a este amor cego
que suga palavra minha ditada.
Sou o canto dos pássaros sou
também a revoada.
Nas nuvens eu consigo ser eu
a esperança que
já perdi.

Marisa Torres
©Direitos reservados.