sábado, 19 de junho de 2010

Os olhos.






 

Os olhos.

Assim são eles...

Olhos que falam e jamais mentem.
Espelho da alma estampada no rosto
refletida na pupila transparente.
Olhos da saudade, da alegria,
do mistério e da maldade.
Mesmo sem querer se entregam
e desnudam-se.
Assim são os olhos...
Falam também na lealdade.

Olhos ternos...

Sempre em sintonia a brilhar.
vêem e retribuem no eterno sonhar.
Olhos sem medos sem conflitos
e sem segredos.
Conscientes e presentes olhos que
jamais se esquece...
Olhos que a alma aquece.

Olhos da maldade...

Que em tudo vê malícia.
São olhos ardendo no ódio que
fervem nas chamas do pavor.
Amedrontam, mas não encaram
jamais os olhos do amor.
São na verdade olhos
que não seduz e sem luz.

Lindos são os olhos dos

amantes que em tudo vê beleza.
 

“Olhos fascinantes “
Olhos sem destino que se
entregam e se cristalizam...
Olhos de menino.
Não perdem a esperança,
mas nunca brincam.
“Olhos diamantes”.

Marisa torres

© Direitos reservados pelo autor.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário