domingo, 13 de junho de 2010

Alma da minha alma.


Alma da minha alma.

Num meigo cântico
minha alma a tua chama.
E afinam-se nas canções de
gaitas a exalar amor.
Em sedas cintilantes
bailam na paz da lua.
Sob estrelas se amam na
luz sem pudor.

Corpos
amantes e distantes.
Choram de saudade e
imploram de paixão e dor.
Das caricias jamais sentidas
e tão conhecidas.
Sorrimos disfarçados
para amenizar
esta negra cor.

Nossas almas
saciadas brindam enamoradas.
Envolvem-se num êxtase
de sedução e emoção.
Espelho que nos separa...
Almas que nos ampara.
Alma da minha alma
vida da minha vida.

Marisa Torres
@Direitos reservados


Nenhum comentário:

Postar um comentário