quarta-feira, 30 de junho de 2010

Não diga nada... Apenas ouça-me





No mais profundo silêncio
minha alma teu nome sussurrar.
Olhe para o mar e sinta na suavidade
do vento nossos corpos bailar.
Mesmo sem melodia flutua comigo
nesta dança de prazer.
Beija-me os lábios e faz-me
Enlouquecer e de tudo
esquecer.

Não...
Não digas nada ao
sol nascer deixa este amor crescer.
Sinta minha pulsação descontrolada e
domina esta emoção do meu coração.
Veja nos meus olhos a nitidez do
que eles revelam para você.
Sinta nas minhas palavras que são tão
claras e delicadas que contigo
quero viver.

Não digas nada apenas regue no
dia- dia esta flor que acabara de brotar.
Não... Não permita deixar morrer esta
chama que insiste em nos queimar
“Ouça-me apenas ouça-me”
“O tempo mostrará as diretrizes e o amor
apagará as cicatrizes que em meu
peito insiste sangrar”

Marisa Torres
@Direitos reservados.


domingo, 27 de junho de 2010








terça-feira, 22 de junho de 2010





Minha poesia...


                                          
A poesia é minha amante...

É minha verdade,
palavras, músicas e,
sentimentos ...
É a paixão que
domina minha
mente, e na verdade
minhas trevas....
Meu instinto, a minha
própria existência,
e a inexistência
também.
Só queria amar menos...
não, não queria.
Assim não seria ninguém!
Sou "Eu" o próprio
amor em forma de gente.


Marisa Torres
© direitos reservados. 


Meu namorado.




Meu namorado.

Encontrei-te nas flores
numa noite de inspiração.
Teu coração passou a ser meu
neste mundo chamado ilusão.
E claro ficou nosso amor que
meu coração levou pra sintonia
 de outra estação.

Vivemos de fantasias...
Mas nada quero mudar nos meus dias.
Nosso mundo se chama “Amor”.
Meu namorado é calor.
Leva-me pra ilhas do céu,
banha-me até a alma
com a pureza do seu mel.

   É audacioso e manhoso
agasalho-me no teu cheiro gostoso
 misturado-se no meu corpo cheiroso.
Hum...
É fogo e brasa é sem razão e pureza no
nosso  pequeno e grande
 sonho  chamado
“Devassidão”.

Nosso mundo é de beijos falar
de desejos queimar e de sonhos voar.
Embriagarmos no leito explodindo
 até os acordes do peito.
De quem eu gosto, nem às paredes confesso.
Meu namorado é segredo
Só de pensar tenho medo.



© Direitos reservados pelo autor.


Como é lindo nosso amor.


Como é lindo nosso amor.

 Tão belo nosso amor
 sem limites para sonhar...
Ultrapassa montanhas
e mares, perfumando todo lugar.
Tal como um jardim sem fim.
Lembrarei a vida inteira,
este laço que tem algo diferente.
 

“Um amor tão bom de amar.”
Um caso verdadeiro que grita no
 meu peito a desabafar.

Sinto teu olhar me chamando
e meu ar aos poucos tirando.
Como é lindo nosso amor ...
Que veio como a mais bela
canção, um amor de coração.
Dançamos a valsa mais linda e voamos
no tango embriagando-nos de emoção.
Este amor é o sangue que corre nas veias
como um barco corre nos rios

“Um amor sem desafios.”
Ou um lago meigo que sangra o coração.
Acredito eu ser o bastante como
 parceira e amante para este lindo amor
de prioridade e reciprocidade
sem culpas, e sem maldades.
Há... Este amor de partilhas que
 vence todas mentiras.
O mais belo amor vivido sem santidade,
amargura e dor.
Há como é lindo nosso amor.


Marisa Torres.
@Direitos reservados.



domingo, 20 de junho de 2010

sábado, 19 de junho de 2010



.

.

.

Os olhos.






 

Os olhos.

Assim são eles...

Olhos que falam e jamais mentem.
Espelho da alma estampada no rosto
refletida na pupila transparente.
Olhos da saudade, da alegria,
do mistério e da maldade.
Mesmo sem querer se entregam
e desnudam-se.
Assim são os olhos...
Falam também na lealdade.

Olhos ternos...

Sempre em sintonia a brilhar.
vêem e retribuem no eterno sonhar.
Olhos sem medos sem conflitos
e sem segredos.
Conscientes e presentes olhos que
jamais se esquece...
Olhos que a alma aquece.

Olhos da maldade...

Que em tudo vê malícia.
São olhos ardendo no ódio que
fervem nas chamas do pavor.
Amedrontam, mas não encaram
jamais os olhos do amor.
São na verdade olhos
que não seduz e sem luz.

Lindos são os olhos dos

amantes que em tudo vê beleza.
 

“Olhos fascinantes “
Olhos sem destino que se
entregam e se cristalizam...
Olhos de menino.
Não perdem a esperança,
mas nunca brincam.
“Olhos diamantes”.

Marisa torres

© Direitos reservados pelo autor.

 

Dueto Cesar Rabelo e Marisa Torres-Acordes de um Poema





Acordes de um Poema

"Em meio a palavras soltas
me perdi na distancia do pensamento
na musicalidade de um poema
apenas um pensamento... Você!”

“Em meio a você me perdi em
pensamentos de desejos sem fim.
E em mim a paixão vestiu-se de prata.
Como a lua reveste a noite dando
graça ao mais insignificante jardim”.

“Palavras, poucas palavras...
Encontradas no palco deste jardim
delineando o poeta protagonista
vestido de prata a rabiscar...
A você o ultimo poema enfim.”

“Que pena que tudo acabou assim...
Uma brisa ruim passou e esqueceste-se de mim.
Quem sabe em setembro mais uma vez 
nos encontraremos.
E o poeta que sempre estará em meu peito
escreverá mais um poema e se perderá 
nas curvas do meu leito”.

"Pois em setembro a primavera, poderá renovar;
Em noites de lua, as flores, a brisa, o jardim enfim...
Fazendo renascer um outro amor em meu peito
e comporei a ti um outro lindo poema,
com lindas palavras de amor em forma de Dueto".



És um mandado de Deus?




És um mandado de Deus?


Minha poesia parecia morrer.
Nem em Deus mais eu podia crer.
Chegou tão de repente falando de amor...
É difícil meu coração tão forte bater.
Acalmou-me a alma, aliviando-me
do peito a dor.

Vieste de onde
ressuscitando meus versos?
Mostrando-me que o céu ainda
brilha nas manhãs.
Reacendendo meus desejos com ternura
beijando-me a face com doçura.
Tal qual se cultiva as rosas conquistou-me
com um buquê de emoções.

Perfumou-me de
esperança numa saborosa infusão.
Chamando-me para voar 
e perder a razão...
És um mandado de Deus
que nos uniu nesta harmonia?
Ou mesmo o sol anunciando para o
mundo sua gloriosa
luz do dia.

Marisa Torres
@Direitos reservados.

Mergulhei... E te amei.

Dentro
do teu
abismo 
mergulhei no 
teu coração
ferido encontrei
resposta que
sempre busquei... 

E te amei!

Marisa Torres
© Direitos reservados.

sexta-feira, 18 de junho de 2010

A doença chamada “Amor”

A doença chamada “Amor”

Cada pequeno olá,
cada pequeno sorriso.
Traduz calma e alegria.
Cada pequena palavra é capaz
de salvar um coração apaixonado.
Há um milagre chamado “Amor”
Você não sabe como aconteceu
ou mesmo quando
começou.

Mas sabe a alegria que ele
traz quando duas almas 
se encontram.
”Aquele doce e louco Transpor.”
Nunca pensam em se deixar.
Muito menos se importam quem são.
São amantes que se dão.
São perdidos que se encontram
na loucura sem espera de cura.

Chama-se isto de doença...
Pois a moléstia me contaminou.
Sempre falo e repito que
este mau em mim nunca doeu.
Quando o vírus se aproxima.
To na frente e sempre digo...
Pode vir amor meu.
“Aqui estou”.

Marisa Torres
© Direitos reservados.


quinta-feira, 17 de junho de 2010

Vives para mim?




                                         Vives para mim?

Fala para mim...
Quando sentires vontade de falar.
Murmura baixinho meu nome...
Grava-o e ouvirá os sinos soar.
Quero ouvi-lo dizer
que gosta de escutar tua boca falar.
E ardendo feito chama já supondo
que na cama o meu nome gritará
E viverás para mim.

Canta para mim...
Quando sentires vontade de cantar.
Cantarei contigo suaves melodias
nas notas nos amaremos todos os dias.
E no silêncio das canções
entenderá que no calar
a música mais bela...
”É feita de dois em um.”

Escreve para mim.
Se sentires vontade de escrever.
Pensa no mar, no sol e na chuva.
Fecha os olhos e pensa na lua.
Pensa no que te diria baixinho.
Porque mesmo sem saber o que pensas
eu sinto o que pensarias.

Vives para mim?

Marisa Torres
© Direitos reservados.


























terça-feira, 15 de junho de 2010

Meu brilho é distante.




Meu brilho é distante.

Como brilho distante.
Roubo-te os reflexos a cada instante.
Visto-me do que irradias,
e por amor, quero agradar o mundo.
Sem opção olho as estrelas
um segundo.

Tudo é reflexo ao teu redor.
“O mundo cresce e tu já es inteiro”.
Aos meus olhos tudo é menor.
Como um brilho distante
e passageiro

Em palavras doces
transmito a magia que pulsa em meu
coração que aqueces.
Queimara-me com teus raios celestes...
Valsando comigo no tango.
Beijando-me a face fria.

Marisa Torres
© Direitos reservados pelo autor.

Como falar de Deus?



 Como falar de Deus?

Temos mentes.
A mente é suja!
A alma sim é limpa...
Então falemos com a alma e
deixemos que Deus
seja nossa boca.

Marisa Torres
@Direitos reservados.

Poeta e verso.




Poeta e verso.


O que seria
do mundo sem
a poesia?
Do anoitecer sem o
desertar do dia.
Do jardim sem
uma flor.
Da vida sem
esperança e da
música sem um
cantor?


Há o que seria...


Do poeta
que dita em verso
o amor para não perder
a razão de viver do mundo
sem a paixão do pulsar
do coração.
Da vida que nos foi
dada para viver amar
e sofrer.


Da cama
vazia dia após dia.
Em verso da nossa
agonia entregamo-nos
em sentimentos nossos
piores momentos e
transformamos para
o mundo em alegria.
Contagiando em verso
o poeta vira tudo
ao inverso.


Marisa Torres
© Direitos reservados.



O amor que quero...



O amor que quero.


Tem que
existir e insistir.
Tem que ser capaz
e voraz.
Sem machucar e
está alerto.
Sem questionar
o errado do
certo.

Faça-me
criar asas e
ensine-me a voar.
E assim
voaremos na doce
melodia do
sonhar.
Que me faça
sentir entre
a terra e o céu.
E jogue comigo
emoções
ao leu.

O amor
que quero.
É um amor calmo
doce e eloqüente.
Delirante, sereno,
ardente e
quente.
Que me faça
sorrir, e sentir
que
ainda vale
a pena, amar.
E que não tenha
vergonha que é
capaz de
chorar. 

Marisa Torres
© Direitos reservados pelo autor.















segunda-feira, 14 de junho de 2010

Meus versos de amor.