quinta-feira, 13 de agosto de 2009


Noite de espera.

Sem você sinto
o nascer do sol diferente.
Sem calor ou como a estrela
da minha alma, tumultuada e fria,
me aconchegar em
travesseiros sem cheiro,
sem suor, sem amor.

Na esperança da tua chegada.
a noite de espera atormenta-me
a insônia teimosa e calada...
Procuro em cada canto acalento.
Meu cociente sabe
o que jamais querei saber.

Observo aquela borboleta aflita
batendo-se com uma só asa, eu e ela
enjauladas, doentes, sem amor.
O abajur é o nosso sol a brilhar.
O que temos em comum
é exatamente o incomum...
Ambas sofremos de dor.

Quisera eu ser o nascer do sol.
Ter a beleza do beija flor.
Esquecer a borboleta sombria...
De flor em flor voar.
Sonhar com cada rosto e esquecer
quem ficara de chegar.

Marisa Torres
© Todos os direitos reservados pelo autor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário