quinta-feira, 18 de junho de 2009


Saudade da poesia.

Uma janela que abri deu-me saudade...
Saudade de um mundo que não me pertence mais.
Desta janela olhares voltavam-se para mim.
Belos sonhos interrompidos pela maldade.

Multicores enfeitavam minhas linhas.
Cores que perdi, e tento resgatar em minha´lma.
Na janela sufoco-me explodindo em agonia
onde a beleza da vida por ali passava.
O que me mantinha viva a falta agora me mata.

Sinto a esperança rondar nesta janela.
Meus dedos deslizam levemente amando o que faço.
Brincando com a poesia, agarrando-me ao meu espaço.
Minha alma salta de alegria, demorei, mas voltei!
Deus porque parei, a poesia faz parte de mim.
Desta janela não saio mais!

Marisa Torres.
© Todos os direitos reservados pelo autor

Nenhum comentário:

Postar um comentário