sábado, 6 de junho de 2009


A lágrima.

A lágrima surge numa euforia gigante na
tristeza sem disfarces.
Na alegria surge bela num rosto triste como
flor de primavera.
No amor vive ativada na mulher moça sedutora
em busca de amor angustiada.
Entre a tristeza e a alegra a lágrima muda no
Efémero momento que se revela.

Sedutora nos olhos falsos se manifesta sem
graça ocultando a alegria que guarda.
Em gotas de tinta brilha em telas lindas
decorando ambientes de alegria.
Em teatros espelha uma realidade ensaiada de
grandes amores da fatalidade.
A lágrima expressa entre a alegria e a tristeza
a realeza na espera da sua grandeza.

Na música alegre em momentos aparece
triste no rosto da donzela.
Em notas tristes encanta momentos felizes de
união na mais bela perfeição.
Aparece na depressão onde todos se perguntam
o porque que ela aquece.
Alegre ou triste, na mocidade ou na velhice
a lágrima nunca desaparece.
É a mais pura expressão de
dor e a alegria no coração!

Marisa Torres
© Todos os direitos reservados pelo autor

Nenhum comentário:

Postar um comentário