quarta-feira, 10 de junho de 2009


A esperança de te ter sufoca-me.



Doce sorriso cristalino,
saliva doce de anjo,
esperando-te ando feito menina.
Passas por mim devorando a alegria.
Sufocando-me as ilusões na claridade sonho
com teu amor teu cheiro de jardim.
Queria ser eu a mulher eleita, mas na
esperança de ter-te já me sinto satisfeita.
Este desejo louco de ter-te tira-me o encanto
do poder, pois no fundo dos teus olhos
não consigo me ver.


Faz-me sentir uma criança
recém-nascida para o amor.
E nascer à mulher hipotente, extinta
angustiada ou mesmo mau amada.
O cupido que me invadiu a alma voa
pela janela satisfeito ao te ver num
simples cruzar de olhar.
Meu coração reclama ao te ver aproximar
esquecendo o prazer vasto de amar.
Perdida estou nas ilhas do amor na
esperança de ter e sentir teu sabor.

Atormentada alma que espera por
um carinho teu, amor que invade o peito meu,
fogo que queima a esperar, é dor
doendo em mim.
A claridade invade o coração e a escuridão
na esperança de ter-te sufoca-me numa
imensidão sem fim.
Na esperança de ter-te sufoco-me.

Marisa Torres
© Todos os direitos reservados pelo autor

Nenhum comentário:

Postar um comentário