terça-feira, 23 de junho de 2009


Dançando no amor

Cisnes dançam no lago num compasso lado
a lado sem a menor pressa.
Amantes jamais separados entre carinhos amor sem fim.
Lábios colados palavras doces, ritmos alucinados.
Casais dançam no amor qual uma chuva calma
com aroma de jasmim.
Em total sintonia entre afagos tudo se confessa.

Dançando no amor palavras são ditas juras
são feitas e jamais esquecidas.
Há o amor melodia eterna flores são ofertas nesta magia
e poetas exalam na poesia.
É no piano Richard Clayderman tocando a
sedução na mais bela paixão.
Dançar no amor também é lembrar o passado onde
a fonte do prazer te fez sofrer.

É onde o sangue ferve, as larvas no coração crescem.
A dor é aquecida e esquecida.
A sedução da dança enfeitiça no rosto estampa
o que na alma atiça.
Dançando no amor é ver o mundo parar
onde tudo gira.

Marisa Torres
© Todos os direitos reservados pelo autor.



domingo, 21 de junho de 2009




Meu desejo de amar.

Um homem com a alma nua e
aberta que me abrace à vida incerta.
Esta eterna busca da pessoa certa, mata-me
a cada instante onde ressuscito minhas
fantasias angustiantes.
Aquele que me atice os limites, que me fale de
amor a cada dia e acredite em
desejos e fantasias.
Este desejo de amar fala da dor em
silencio e grita de alegria em
versos em poesia.


Há este desejo de
perder o sono
tornar as noites longas me envolver
e me perder.
Encontrar-me em teu corpo,
banhar a alma no amor e secar as
lágrimas no suor do teu calor.
Traçar do meu jeito palavras em curvas
perfeitas e como raio
este amor selar.
Que venha voando e delirante
sou paciente se
existir que venha
caminhando.

Na claridade me
dê o som do mar e na
escuridão do meu
inconsciente me ame eternamente
enquanto durar.
E não acredite em recomeço,
que venha intenso e inteiro.
Meu desejo de amar pode durar ou ser
passageiro.

Marisa Torres
© Todos os direitos reservados pelo autor


sábado, 20 de junho de 2009


Vida incerta.

rumos distantes.
Não! Não quero acertos
apenas caminhar na estrada.
Procuro a vida que não existe,
procuro não me apegar a nada.
Nem feliz nem triste.

Vivo, por assim dizer,
talvez por ver alguém viver
ou ter que viver a vida tua
sem obrigação com o dever.
Vivo porque ainda é o que
me resta.

Quando a tristeza bate to nem aí.
Tenta tanto tomar minha alma,
mostro-lhe minha calma
e fujo dela, que besteira...
Fujo da felicidade também.
Mas o que é felicidade?
Algo tão escorregadio as vaze ate sombrio.
Só vem me procurar para me fazer sonhar
com sua falsa eternidade.

Tristeza e felicidade
Das duas hei de escapar.
Deixo-as...Sem nelas acreditar.
Dizem que faz parte do amor
mas a ele nunca me dou,
quando bate a minha porta
respondo: não estou!

E que venha a vida.
vidas e idas, guerra e paz,
feliz ou sofrida...
Para mim, tanto faz.
Acabou ou quer mais?

Marisa Torres
© Todos os direitos reservados pelo autor


Os anjos que fascinam.

São os anjos que permanecem e nos
conduzem a luz.
Ajudam desinteressadamente levando calor.
É gratidão continuada e demonstrada.
São os que de tão leve não alcançam o chão
bailando na dança do amor.

Os anjos dançam no combate sem recuar,
estendendo a mão a perdoar.
São lentes sobre figuras nuas.
Deslumbrando o mundo da beleza tua.
Os desejos dos anjos são gritos agudos
De paz e cânticos mudos.
Fascina-me ver um anjo.
Fala pouco e age sem nada esperar.

Os anjos da beleza são perfumados
como campo de flores, trazem no peito
a bondade de beijar um rosto enrrugado.
E com ternura acariciam um rosto
pelas dores esmagado.
Os anjos que fascinam apaziguam a dor
até dos traidores.

Anjos fascinantes que dominam o mundo a
pregar amor e lealdade esquecem até
a própria felicidade.
Tememos nossa própria bondade.
Somos tementes do amor do falar e do cantar.
O anjo que temos em nós está adormecido,
ta na hora de acordar
Vamos juntos dançar sem ter
medo de parar?

Marisa Torres
© Todos os direitos reservados pelo autor


Quando olho para o céu.

Vejo pássaros mensageiros
cantando para o mundo inteiro.
Pássaros em revoadas jorrando esperança
de asas brancas.
Levando a voar no andar da vida quem não sabe andar.
Olhando para o céu nas nuvens vejo
o teu nome e o meu.

Quando levo meus olhos ao céu...
Encanto-me com tanta ternura neste vôo, pois
lá me abrigo num eterno sorriso.
Anjos me encantam fazendo-me ver que a melhor
coisa da vida é o perdão.
De lanças brancas enfrentam guerras onde sempre ganham.
Levo meus olhos os céus e encontro-me no paraíso

Quando olho para o céu...
Volto a ser criança, tecer tranças em anjos
falar ao mundo numa eterna aliança.
Vejo no horizonte o sol brilhar a flor do amor brotar
no sorriso de uma criança.
Perco-me em sonho onde anjos com suas flautas
cantam em só dança.

Marisa Torres
Todos os direitos reservados pelo autor

sexta-feira, 19 de junho de 2009


“Os olhos falam, a boca desmente.
O nariz sente a fragrância deste
amor, sã ou doente?
A mente sempre carente sente na minha´lma
a falta deste lindo amor inconsequente.
Beijos, afagos, tudo vezes mil, não
tente entender este é um amor viril.
Amo e com desdém me trata...
O que desperdiçar hoje, um dia sentirá falta.”“.

Marisa Torres
© Todos os direitos reservados pelo autor

E agora?

Em meus sonhos dobrei todas as esquinas
fugindo do teu amor, mas você não teve dó.
Cobriu-me de emoções, e me arrasou nas ilusões.
Segui teu caminhar.
Como posso continuar a secar meus prantos?
Seguir meu coração, mas você fugiu sem
deixar rastros de ilusão.

Não quero viver de regras.
Quero sim, arriscar-me.
Escalar montanhas, fechar os olhos e nada temer
em momentos algum quis te perder.
Poupa-me tanto sofrimento, pois contigo quero viver.

Nos lençóis do meu pensamento, fui me entregando.
O mesmo cobriu meu corpo, deitou comigo a esperança.
Levantou comigo deixando lembranças.
Não voltas mais? E nossa aliança?
E agora, do que vou me alimentar? Não posso mais sonhar?
E o meu pobre coração... Neste mar de ilusão.
Como vou continuar?

Marisa Torres
© Todos os direitos reservados pelo autor

Tuas palavras, beijos e sorrisos.

Tuas palavras me aquecessem,
em noites de paixão sofridas
como um sonho realizado em prece.
Vivemos momentos a sonhar com o amanhã,
Ate nos bastarmos com o pouco,
ou mesmo o muito que a vida nos oferece.

Teus beijos me entorpecem.
Em noites frias, os sinto com ternura.
O vento que sopra a tua face sopra a minha
Trazendo carícia ardente mesmo ausente
Sinto no beijo que no dia floresce
A magia eterna “minha e tua” •
Teu sorriso me encanta.
Sustenta a esperança de sentir teus afagos.
Deslumbra-me durante o dia com calor.
A distancia contemplo-te meu amor.
E esqueço-me, as dores e os ais.

Ver o dia clarear, ver na noite me perder.
E em sintonia vivemos a loucura.
Sensações incríveis, inabitável e inigualável.
Nas palavras beijos e sorrisos
Coisinhas minhas e tuas.

Marisa Torres
© Todos os direitos reservados pelo autor

Lua.

Lua mãe majestosa...
Lua esplendor.
Liberta-me dessa prisão.
Desta tristeza.
Mostra-me tua face...
Linda face,mil fazes.
Ilumina-me com tua luz.
Fortalece-me, minha lua.
Dê-me força para vencer
Faça-me forte para vencer
o invencível.

Oh! Lua rainha!
Realiza meus sonhos.
Meus desejos mais íntimos.
Faça-me feliz, minha lua...
Nossa lua.
Tenho que dividi-la,
você nunca será só minha.
Ela é minha,
mas também é tua.
Cuida dela com carinho...
Nossa lua.
Quando a pedimos algo,
atende-nos sorrindo.

Marisa Torres
© Todos os direitos reservados pelo autor

Segundos de paixão

O que não daria para ter-te em
meus braços.
Falo em segundos seguidos de paixão,
e beijos no cansaço.
De amor exalaria o mundo em poesia
cantando em rimas ou não.
Traçaria em segundos o que o mundo lê
e transformaria em magia.

Em segundos minha alma de poeta se
alegraria e acalmaria algumas vidas incertas.
Às vezes a tristeza bate forte e me deixa
inquieta insegura incerta sem a menor alegria.
Meu coração de criança cresce e a
minha´lma chora pedinte em prece.
Querendo um carinho teu, um abraço
forte e em segundos ela
encontraria.

Em segundos uma tristeza me invade
imaginando com humildade como
seria tê-lo em meus braços.
Momentos de alegria, corpos molhados e jogados.
Na poesia me acalento te dou alento,
mas meu coração dói muito por dentro.
Há como eu queria tê-lo em segundos
seguidos de momentos
Ouvir da tua boca bobagens e
gritar para o mundo como é
bom amar-te.

Marisa Torres
© Todos os direitos reservados pelo autor

Onde esta a felicidade?

Talvez nas estrelas onde brilham teu olhar.
Ou no mergulho do teu suor onde nado no escuro do céu.
Talvez na beleza da abelha beijando uma flor sugando seu néctar.
Ou será no mel onde saboreias meu corpo nu esperando um troféu?

Será neste sorriso puro de criança que tu tens?
Ou na malícia do teu beijo onde me perco em delícias,
e sempre digo vem.
Será no sentimento que nos une no casamento?
Ou na paixão desenfreada que me deixa embriagada
e despudorada.

Onde esta a felicidade?
Onde todos buscam e na poesia os poetas falam de fantasias?
Estará nos corpos quentes ou nos ventos
fortes de um temporal?
Ou na sede brusca dos amantes saciando a sede
num vendaval.

Felicidade?
Algo tão buscado e os que falam que acharam vivem
desolados sem esperança.
Não sei o que é felicidade só sei que ao teu lado eu me
sinto uma criança.
Sei que no brilho do teu olhar morreria e se cega
estou sei também que me guiaria
Não sei o que é felicidade...
Sei o que sinto, o mais puro e verdadeiro amor que
me encanta.

Marisa Torres
© Todos os direitos reservados pelo autor

Mar meu amor.

Passos na areia.
Na noite fria, a caminhar.
Pesadelo...
Só o mar sabe me acalmar.
Deixo pegadas, traços da insônia
que o mar trata de apagar.

Mar meu amante... Meu amor.
Que me toma no colo.
Caminho e admiro sua grandeza.
Nuvens me olham passar,
Testemunhando nosso amor.
A noite fria se faz calor.
As nuvens lá a festejar.
O mar e eu, eu e o mar.

A lua fica pequena,
mas deslumbra o lugar.
Sem comparar.
Cada um com sua beleza.
Noites de insônia na areia.
Tudo é belo, tudo encanta.
O vento chega... Não adianta,
o mar esquenta.
Só tenho cabeça para amar.
O vento passa, tudo passa,
até as ondas se vão...
Mas meu lindo mar,
lá sempre estará.

Mar, mar, mar, mar,
Lindo, gigante, azul,
beleza inigualável
refletido com a luz da lua,
Clareza para meus pensamentos.
Bronzeia nas noites escuras
meus sentimentos.

Marisa Torres
© Todos os direitos reservados pelo autor


Meu vício é...

Olhar para o céu e o mar, no eterno
caminhar sem rumo a sonhar.
Onde enamorados se entrelaçam em abraços.
Vêem no céu a luz da magia a brilhar.
Onde o sol brilha a cada dia.
Viver no dia de hoje os anos passados
e parar para viver na poesia.

Quietar minha’lma e buscar emoções.
É olhar para o céu depois da chuva.
Procurar o eterno arco de cores nos corações.
Admirar cada cor quando a chuva parar
É escrever e viver sem rimar.

Meu vicio é...
Amanhecer cantando como sereia no mar.
Realizar sonhos impossíveis em oceanos.
Olhar para o tempo sem pressa.
Caminhar na praia e olhar o Sol...
Depara-me com uma flor por que não?
É desfrutar da natureza
e preservar.

Sou viciada em amar.
O céu, o mar, o sol, a beleza.
As cores da natureza, o cheiro da flor.
A paixão... Onde se sofre ou não.
Meu vício maior é escrever com amor

Marisa Torres
© Todos os direitos reservados pelo autor

Meu passado vivo.

Do meu passado vivo.
E no escuro dos meus
pensamentos,
baila em minha mente, o passado
que negro tu tornar-te
meus dias.
Trago sempre na minha
memória
tua fúria que se tornou
permanente em tudo
que tu dizias.

O teu ciúme...
O meu descaso, tudo é muito real,
aqueles dias malditos de amor.
Em cada dia uma poesia
nada apaga a beleza da
intensidade vivida, mesmo
com dor.

Seja da ira ou da simplicidade
da palavra amada,
ou o que tu mais gostava de
me fazer sentir "pavor"
Sempre me pergunto o que
me liga ao passado.
Se nele tu estavas e
me dedicou
tanto amor.

Marisa Torres
© Todos os direitos reservados pelo autor

quinta-feira, 18 de junho de 2009


Saudade da poesia.

Uma janela que abri deu-me saudade...
Saudade de um mundo que não me pertence mais.
Desta janela olhares voltavam-se para mim.
Belos sonhos interrompidos pela maldade.

Multicores enfeitavam minhas linhas.
Cores que perdi, e tento resgatar em minha´lma.
Na janela sufoco-me explodindo em agonia
onde a beleza da vida por ali passava.
O que me mantinha viva a falta agora me mata.

Sinto a esperança rondar nesta janela.
Meus dedos deslizam levemente amando o que faço.
Brincando com a poesia, agarrando-me ao meu espaço.
Minha alma salta de alegria, demorei, mas voltei!
Deus porque parei, a poesia faz parte de mim.
Desta janela não saio mais!

Marisa Torres.
© Todos os direitos reservados pelo autor

Amo o sol ou o mar?

O lindo mar...
À noite a pisar a areia, fria
Os meus melhores momentos,
foram apagados.
Pela ira das ondas a navegar em poesia,
Amei na areia, gritei teu nome em vão.
Amanheci embriagada de amor
naquela praia em que sofria.

E o sol me chamava para a vida
com ciúmes, esquentando minha pele,
revelando o amor que sentia, aquecendo-me
e devolvendo a alegria.
Mar meu melhor companheiro,
onde acalento meus pensamentos
seja noite ou dia.

E quando me ponho a pensar,
é no mar que vejo as estrelas a brilhar.
Navego nas ondas do meu pensamento,
entrego-nos os mais belos sentimentos.
E escrevo teu nome nas asas
do meu voar que tornarei a pisar...
E ele tornará a apagar.

Mas o sol estará sempre presente
aparecendo contente, no seu ímpeto e soberano
dizendo-me é a mim que tens que amar.


Marisa torres
© Todos os direitos reservados pelo autor

Ofereço-te uma flor.



Ofereço-te uma flor.


Como um mensageiro
carinhosamente com amor.
Num momento de saudade onde
 jamais esquecerá meu ofertar.
Ofereço uma flor para apaziguar 
a tua amargura na dor.
Em momentos eterniza-se na lembrança
o sentimento ao ofertar uma flor.


Quero partilhar tuas
tristezas, alegrias e sonhos.
Quem sabe um dia distribuir flores
contigo ao mundo.
Em rimas na poesia torná-lo
 o mais belo jardim.
Dizem que as flores não falam, 
elas dizem tudo
para mim.


Ofereço-te uma flor
Sem me importar o valar que tu darás 
na esperança de um dia lembrar.
Ver teus olhos brilhar refletindo na alma 
a felicidade e fazer tudo mudar.
Uma flor brotaria no sorriso que 
darias ao ofertar meu amor.
Receba esta flor e nunca esqueça 
que meu mundo é te amar.


Marisa Torres
© Direitos reservados pelo .




Idas e vidas do amor
Amor não se escolhe, olha-se e ama.
Imprudentemente a fotografar, sentimentos,
sonhos sem malícia, sem pensar, em sombras,
rosto, formas, deseja-se o tom da voz, do gosto!
Ou de um simples olhar!

Amor e conquista pura sintonia, de melodias.
É nudez nos olhos, é ser apenas alguém comum.
Um simples escravo dos desejos, como anjos ou demônios.
Dependendo do momento, da existência ou ausência.
Amar é ser dois em um.

Às vezes nobre pobre ou vagabundo.
Amar pode ser pura inocência, pode ser violência...
Ou um simples gesto de carinho, pode ser um canto
do mudo, ou a loucura dos que são certos demais.
É o que faz calar a voz triste das almas que se foram
em vão, ou as que souberam aproveitar.
Amar é idas e vidas.
conclusão amor é só ilusão...
Ilusão gostosa de viver e se dá.

Marisa Torres
© Todos os direitos reservados pelo autor

Amar é...

Amar é mais do que tocar é sentir.
Muito mais do que sentir.
É segurar a mão amada, é dá ombro.
Ser apoiada e erguida e ser amada.
É está reciprocidade sem precisar exibir.

Amar é mais do que olhar.
É observar cada gesto e admirar.
Rir da bobagem do outro.
Viver e brincar, sonhar e somar.
Dividir cada momento, sentir a alegria
do simples existir.
Percorrer em sonhos os sentimentos!
Aproveitar cada momento.

Peça menos amor... Doe.
Fale menos que ama... Ouça.
Faça mais do que ouvir compreenda.
Amar é dar e receber é compreender.
É entender quem sabe expressar mais e menos
este lindo sentimento!

Marisa Torres
© Todos os direitos reservados pelo autor




Às vezes falta-me inspiração.

Eu brinco com o a poesia acredite.
Às vezes pareço fria
Às vezes falta-me inspiração.
Muitas sofro ao escrever.
Este é um desfio, que deixam marcas a fio.
Muitas se faz areia na palma de minha mão.

Foge para longe de mim.
Angustio-me, pois, sem ela nada seria.
Num sopro insano de quem não sabe nada de si.
De quem nada sabe, de quem não sabe ter.
De quem nada da vida sabe.
Minha poesia minha eterna agonia.

Procuro palavras em cada rosto.
Na face cansada das rugas que ficam e nas que foram.
Ou no olhar do jovem que reflete euforia,
namorando num banco da praça, pois bem sei
ali permanece a magia.

Às vezes no desespero adormeço.
Adormeço também com sonhos que esqueço.
Vem à madrugada e a insônia que toma os olhos
encontra aconchego na alma onde padeço.
Escrevo em prantos, pois meu “eu”
parece não ter fim nem começo.


Marisa Torres
© Todos os direitos reservados pelo autor

Conjugar o verbo amar...




Conjugar o verbo amar
A palavra mais doce do poema que o poeta
gosta de escrever é o verbo mais lindo,
só para falar de amor,
amor
amor
amor
para conjugar muitas vezes amor,
amar
amar
amar
Para que um dia, quando o cérebro eletrônico
contar as palavras que o poeta mais escreveu,
tantos eu,
tantos tu,
tantos ele,
tantos nos
tantos vos
tantos eles
conclua que a palavra que o ele mais usou foi...
AMAR!!!!!
Amo
amas
ama
amamos
amastes
amam
Porque ainda que muitos ignorem é a coisa
mais bela do mundo.
Mesmo que venha acarretado com os verbos
que temos que conjugar.
Tanto sofrer
tanto sentir
tanto mentir
tanto calar
Quem nunca amou... 
Nunca saberá conjugar.


Marisa Torres
© Todos os direitos reservados pelo autor




Conto de fadas.

Acolho-te paixão tranquila.
Como contos de fadas, como magia.
Mesmo que você não leia este conto
Sou a princesa que um dia tu encontrarias.

E neste encontro, cheio de encantos.
Um temporal que a terra inundava
neste conto, só nos dois não via.
Meus lábios com os teus colados
onde o mundo se destruía.

Eternizamos nossos momentos.
No êxtase do amor, corpos unidos,
Mãos ocupadas encontro festivos.
A princesa a tua espera.
Nesta história de amor.
Viveria acordada e para sempre tua seria!

Marisa Torres
© Todos os direitos reservados pelo autor

Eu sempre irei sonhar.


Guardo tudo que passo no coração
sem jamais parar.
Seguindo e tentando falar ao mundo de emoções
ao sonhar.
Esta é a forma de me dá fugindo sem nada tentar mudar.
Levar-te as estrelas é meu caminhar é te
oferta amor sem pensar.

Paro na realidade deparo-me com tanta tristeza.
Tapo os olhos e me entrego na escrita sem

nada sofrer este é o meu viver.
No meu sonho te levo ao mundo da ilusão aqueço
teu coração, e o meu vive a sofrer.
Beijo-te os lábios esqueço o tempo, teu cheiro

vive em mim sei que pode sentir.
Entrego-me a ti sempre encantada

acreditando no meu íntimo que

nunca irei te deixar cair.

Meu mundo é quente vivo sempre nas fantasias já
disse adeus às noites frias
Estar de bem comigo e me entregar na poesia sem esquecer
quem em algum lugar comigo tu vive a sonhar e sorrir
Sempre irei sonhar sem medo de ser feliz ao te amar.

Marisa Torres
Todos os direitos reservados pelo autor





Magia dos amantes.

Puro amor, puro sentimento,
puro calor.
Puro são os sentimentos
dos quem amam.
Manter acesa a chama, para
voltar de bem pra cama.
Eternizar momentos.

Nunca é acessório...
Nunca é pouco.
Nunca é fracasso nem antipático.
Nunca traz pouco espaço.
Sempre cabe mais e mais,
na doce beleza de doação
no coração.

Busca de compromisso
e paixão que transpõe sabedoria para
manter os desejos.
Busca de bons sentidos na vida.
De viver bem entre beijos
no girar da terra, manter a alma nua.
Saborear a vibração dos raios
do sol e da lua.

Esta é a magia do amor,
e dos amantes.

Marisa Torres
© Todos os direitos reservados pelo autor

Meu brinquedo.

Meu eterno amor que pulsa meu
coração de criança
no carinho de uma dança.
No embalo de uma roda faz-me festejar e
brincar na
rua chamada esperança.
Brincamos em qualquer canto, sou tua boneca
que sempre falará sim.
Meu barquinho de papel, brinco
contigo no rio, com
destino para
o céu.

Sou o melhor mágico e palhaço
só para ti ver sorrir.
Na criança que em mim em meio
aos nossos dilemas riremos de
todos problemas.
Meu carrinho de menino seguindo
determinado
enfeitando todo caminho.
E unidos passo a passo no universo
cantaremos para
todos sambas em versos.

Meu brinquedo
Não tenho segredos encontre em mim
a respostas para
todo teus pesadelos.
Descubra em mim o surfista que
adora uma onda pegar
brincando com a fúria do mar.
Sou colombina tu és meu pierrô que
se encartaram na
quarta do carnaval do amor.
Vamos brindar a luz de velas entre fagulhas
e agulhas nas
noites de primavera.
Meu amor faz de mim mesmo quando
tiver ferido
teu brinquedo preferido.

Marisa Torres
© Todos os direitos reservados pelo autor

Os anjos que fascinam.


Os anjos que fascinam.

São os anjos que
permanecem
e nos conduzem a luz.
Ajudam desinteressadamente
levando calor.
 Gratidão continuada e demonstrada.
São os que de tão leve não 
alcançam o chão bailando 
na dança do amor.

Os anjos dançam 
no combate sem recuar 
estendendo a mão a perdoar.
São lentes sobre figuras nuas.
Deslumbrando o mundo da belez.
Os desejos dos anjos são gritos agudos
de paz e cânticos mudos.
Fascina-me ver um anjo.
Fala pouco e age sem
nada esperar.

Os anjos da beleza são
Perfumados como campo 
de flores trazem no peito a bondade 
de beijar um rosto enrugado,
e com ternura acariciam um rosto
pelas dores esmagado.
Os anjos que fascinam 
apaziguam a dor
até dos traidores.

Anjos fascinantes 
que dominam
o mundo a pregar amor
e lealdade esquecem até a
própria felicidade.
Tememos nossa própria bondade.
Somos tementes do amor do
falar e do cantar.
O anjo que temos em nós 
está adormecido
Ta na hora de acordar.
Vamos juntos dançar sem
ter medo de parar?

Marisa Torres
© Todos os direitos reservados.

quarta-feira, 17 de junho de 2009


E agora?

Em meus sonhos dobrei todas as esquinas
fugindo do teu amor, mas você não teve dó.
Cobriu-me de emoções, e me arrasou nas ilusões.
Segui teu caminhar.
Como posso continuar a secar meus prantos?
Seguir meu coração, mas você fugiu sem
deixar rastros de ilusão.

Não quero viver de regras.
Quero sim, arriscar-me.
Escalar montanhas, fechar os olhos e nada temer
em momentos algum quis te perder.
Poupa-me tanto sofrimento, pois contigo quero viver.

Nos lençóis do meu pensamento, fui me entregando.
O mesmo cobriu meu corpo, deitou comigo a esperança.
Levantou comigo deixando lembranças.
Não voltas mais? E nossa aliança?
E agora, do que vou me alimentar? Não posso mais sonhar?
E o meu pobre coração... Neste mar de ilusão.
Como vou continuar?

Marisa Torres
© Todos os direitos reservados pelo autor

Um sol diferente.

Sonhei com o sol.
Um sol diferente.
Aquele que me fez perguntar,
de onde vem à vontade de brilhar.
Aquele que me oferece calor.
O mesmo que faz questionar.
Por que à vontade de
voar?

E fico triste a imaginar.
O porque da visão não
alcançar o brilho do meu cantar.
E ponho-me a perguntar...
Se não for eu, quem vai saber
decifrar?
Este sonho diferente
onipotente opaco e transparente.
Se o mesmo me faz
ofuscar.

Um sol que brinca
comigo.
Que me faz traçar
o mundo.
Na manhã me aquece...
Na noite me esquece.
Se acordo tarde faz-me
sentir vagabundo.
Rir para mim e
desaparece.

Sem contar que neste
sonho ele me faz
chorar, falar, calar.
E me faz pensar em adorar
minha´lma de artista que
até em sonho estremece
quando o sol desaparece.

Marisa Torres
© Todos os direitos reservados pelo autor

Com você tudo é perfeito

Tudo é perfeito com este amor que

me tira a dor do peito.

Entre nós a amizade arde em prazer e me dou

por merecer.

Não tem cama vazia, a sensualidade paira no ar

nossa eterna companhia.

Viajo fundo nas fantasias delirando

nos nossos abraços

espalhando amor para todo o mundo

Com você tudo é perfeito

Enfrento a vida e a saudade, transformando

tudo em poesia.

Bailo em teu corpo no eterno amar, faço juras

de amor te pedindo pra ficar.

Viro criança falo baixinho palavras

angelicais e infernais.

Contigo transformo realidade em fantasia encanto

todos com nossa magia.

Amor perfeito é assim...

O sol fica estrelado, a noite vira dia à tristeza

vira alegria.

O homem vira criança, a mulher vira esperança.

O desejo e a paixão são a eterna canção

que os deuses cantarão.

A magia das pedras brilham entre

caricias e afagos

no amor perfeito que tudo

se dá direito.

Marisa Torres
© Todos os direitos reservados pelo autor





A nossa música parou.

Perderam-se no abandono e nos
sonhos, o nosso lindo hino de amor.
Como castigo por ter amado nossa melodia
parou ficou só o triste fel do amargo.
As cordas do violão que era tão afinado romperam-se
com as veias do meu coração.
Nada mais restou onde tinha brisa é só deserto
como um cérebro parado.

A nossa música parou e a
orquestra da minha imaginação acabou.
As teclas que disparavam peitos
eram meus sons e gemidos em leitos.
Onde tinha amor lá estava eu com minhas notas
em laços e abraços.
Meu peito explodia de tanta alegria e nesta melodia
amantes viravam o dia.

A nossa música parou e a
bailarina sem ritmo no palco imóvel ficou.
A vida sem música faz tudo parar, o que move o
mundo são as emoções de uma canção.
Como poderei viver sem tua imagem fiquei
no escuro sem melodia na voz da solidão.
Só me resta a saudade estou perdida sem destino
sem toque, sem corda de tristeza
estou explodindo.

Marisa Torres
© Todos os direitos reservados pelo autor




.


Minha tristeza...

Estou triste, deprimida, sofrida.
Porque tem que ser assim?
Quando contemplo longe o sol poente
Lembro-me dos sonhos vividos, amados
atrás do monte lá no infinito.

Uma boa poesia nunca é alegre.
É um sonho acordado, mas bonito.
Sonho com a luz do sol quase apagando.
E assim acende em mim uma chama
E paro a pensar, no amor...
Como é bonito mesmo inconsequente.

Como pode um grande amor se por
como o sol assim tão de repente?
O tempo passa e só me resta sonhos.
Vem à madrugada e o sono não vem
Na aurora fria e calada perco-me.
Ou encontro-me, não sei mais.
Desapontada estou carente do teu amor.

Volta meu sono, não me deixa no vazio.
Embriaga-me na poesia, não me deixa tão vazia.

Marisa Torres
© Todos os direitos reservados pelo autor

quinta-feira, 11 de junho de 2009



Sou o que tu quereres que eu seja.

Sou mulher nua de corpo e alma.
Não procure razões de onde vem minha luz.
Tenta desvendar-me e saberá que meu encanto incomoda.
Não importa minha cor, se sou preta ou branca.
Sou mulher transparente que a muitos seduz.

Sou anjo que encanta sou serpente que
enlouquece sim sou louca e daí?
Sou pele e carne meus modos te espanta minha
magia é tua mente que crias.
Meu jeito misteriosa, arrasta corações sou
demônio sem fim.
Não importa quem sou.
Sou teu sonho secreto de menino incerto.

Sou poeta que reluz em papel e no
meu inferno te levo ao céu.
Sou tua imaginação sou pura emoção na magia tua porção.
Que queiras ou não sei que toco no fundo do teu coração.
No meu silêncio grito para o mundo que a magia do amor
é apreciar com a alma, ser nua e clara.
Sou eu o que tu crias...
Sou o que tu queres eu seja!

Marisa Torres
© Todos os direitos reservados pelo autor

Viver é sonhar com o infinito.




Viver é sonhar com o infinito.
O infinito é
amor que sinto no peito...
O infinito é algo estranho
que tenho medo.
Medo?...
Pergunto-me se preciso ter.
Viver é sorrir para o mundo...
Sorrindo vou vivendo em
parceria com você.
O meu mundo se
confunde em sentimentos.
Para que confundir se tenho
certeza do teu amor?
Viver é brincar de ser feliz...
Vamos continuar brincando
de escrever sobre você.
A brincadeira machuca?
Se não gostas de palavras
doces vai morrer...
Machucar e dilacerar o coração...
Como não dilacerar corações amando?
Machuca-se sem saber.
Eu sei que meu doce saber é te
machucar com amor até doer.
Será que viver é sofrer?
Não, não pode ser...
Se é tão meigo o meu jeito
de te fazer sofrer.
Marisa Torres
@Direitos reservados. 
Fo
                         
                                                       










Não sintas culpas

Deste amor dilacerado que ocupou tanto
espaço.
Impossível neste momento acalmar minha`alma
Ferida.
Em prantos escrevo com o coração magoado
só não me peças para parar de sonhar
Se algo deu errado.

Teu jeito moleque despertou a menina que
existe em mim.
Tudo para quando chegas tudo é voltado para ti,
não, não és culpado.
Tens o brilho nos olhos palavras simples e soltas
um jeito palhaço.
Não sabes o bem que me fez há muito tempo
meus lábios não sorrir.

Não somos culpados se nossos caminhos
não são traçados.
Melhor parar e lembrar o que vivemos se foi intenso
e verdadeiro.
Na dúvida ou na certeza o meu coração nasce e morre
o tempo inteiro
E assim vivo encantando o mundo com este
coração mensageiro.
Não sintas culpas meu homem menino se acertou
o peito errado.

Marisa Torres
© Todos os direitos reservados pelo autor






.

quarta-feira, 10 de junho de 2009


A esperança de te ter sufoca-me.



Doce sorriso cristalino,
saliva doce de anjo,
esperando-te ando feito menina.
Passas por mim devorando a alegria.
Sufocando-me as ilusões na claridade sonho
com teu amor teu cheiro de jardim.
Queria ser eu a mulher eleita, mas na
esperança de ter-te já me sinto satisfeita.
Este desejo louco de ter-te tira-me o encanto
do poder, pois no fundo dos teus olhos
não consigo me ver.


Faz-me sentir uma criança
recém-nascida para o amor.
E nascer à mulher hipotente, extinta
angustiada ou mesmo mau amada.
O cupido que me invadiu a alma voa
pela janela satisfeito ao te ver num
simples cruzar de olhar.
Meu coração reclama ao te ver aproximar
esquecendo o prazer vasto de amar.
Perdida estou nas ilhas do amor na
esperança de ter e sentir teu sabor.

Atormentada alma que espera por
um carinho teu, amor que invade o peito meu,
fogo que queima a esperar, é dor
doendo em mim.
A claridade invade o coração e a escuridão
na esperança de ter-te sufoca-me numa
imensidão sem fim.
Na esperança de ter-te sufoco-me.

Marisa Torres
© Todos os direitos reservados pelo autor

A tristeza faz parte de mim.

Jogo folhas ao
vento.
Lembranças e pensamentos.
Como nuvens pelo céu
a tristeza faz parte de mim.
Não adianta lutar
é assim.

Como alegrias que se vão
Entrego meu coração...
Mas que coração?
Poeta tem uma escuridão
Hoje ama amanhã não.

Passam os sonhos por
mim.
Passam fatos que relato.
Ate percorro no mais íntimo dos meus
Sonhos.
Vejo sombras no que conto.
Nenhum dos sonhos é meu
embora eu os sonhe
assim.

Lembranças que se
vão.
Pensamentos que vem.
Pelo campo da minha mente,
a tristeza se faz plantação
Alegria é pura extinção
que um dia a vida fez
canção.


Marisa Torres
© Todos os direitos reservados pelo autor

Batimentos do meu coração.

Batimentos do meu coração.

leves e suaves,
de portas abertas que
meigamente chama por ti...
Castigado pelas dores da vida.
Mas capaz de doar amor
a um mundo sem cobrar.
Bate como uma pluma
apaixonada, a sangrar,
espalhando amor.
Amanhece novo como uma
chama, mas a noite clama
em ver tanta dor.

Meu coração bate assim...
Procurando sinais em
caminhos e abrindo passagens...
Sonhando com um dia melhor.
Cantando com tua alegria,
chorando na tua angustia.
Tentando vencer sem querer saber,
se para mim é bom ou ruim...

Amo demasiadamente,
até desmoronar.
Assim são as batidas do meu coração...
Que não se cala... Que não mente!
Que chora! Que rir! Que clama!
Que chama!Que ama!
Meu coração não é ruim!

Marisa Torres
© Direitos reservados.


Tentarei responder.


Contento-me com muito pouco.
Contento-me com as saudades
das doces lembranças como se
“eu” não existisse mais.
E elas me entorpecem nesta
intrigante magia da poesia.

Perguntam-me como escrever.
Não sei responder.
Perguntaram-me da leveza...
Muito mais doce e belo, é ler.

Escrever é expor o seu interior.
Lembrar de um olhar e apenas
sonhar.
Buscar, o que sabemos jamais existir.
É um doce despertar do que jamais será.

Lembranças jamais vividas.
Às vezes nem sofridas, é o que
jamais serei.
Como dizer?
Olhares que minha´lma invade.
“É dor, que sufoca e conforta”.

Marisa Torres
© Todos os direitos reservados pelo autor

Quer seguir comigo?

Quer cuidar de quem
perde?
Então vem...
Segue comigo nesta mesma
Direção.
Dar a mão a quem anda só,
caminha comigo então.
Amar a quem não tem amor.

Vem comigo contentar os
descontentes?
Apaziguar a dor de quem esta
doente.
Cuidar da ferida que dói e só
sabe
quem sente.

Quer seguir comigo?
Desarma-se só assim me
acompanhará.
A vida para quem riu de mim
hoje é angustia e dor.
Mas vale a pena tentar esta
alma salvar.
Só me acompanha quem pensa
assim.

Quer saber quem sou?
Não sou santo, não sou anjo.
Sou gente!
Como qualquer carente,
qual diferença?
Fui gerada, esperada e criada
com amor.

Marisa Torres
© Todos os direitos reservados pelo autor